Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

PENSAMENTO DO DIA

 2 de fevereiro de 1905 nasceu em S. Petersburgo a filósofa e escritora americana Alissa Zinovievna Rosenbaum, 
mais conhecida como Ayn Rand, falecida em Março de 1982 em Nova York. Ficou famosa esta frase dela, que se
aplica como uma luva ao que vivemos em Portugal nos dias de hoje:

"Quando te deres conta de que para produzir necessitas obter a autorização de quem nada produz, quando te deres conta de que o dinheiro flui para o bolso daqueles que traficam não com bens, mas com favores,
quando te deres conta de que muitos na tua sociedade enriquecem graças ao suborno e influências, e não ao seu trabalho, e que as leis do teu país não te protegem a ti, mas protegem-nos a eles contra ti,
quando enfim descubras ainda que a corrupção é recompensada e a honradez se converte num auto-sacrificio, poderás afirmar, taxativamente, sem temor a equivocar-te, que a tua sociedade está condenada. “

AYN RAND (1950)






quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

LADROAGEM

http://youtu.be/okhalDdjCmQ

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

ARTIGO DE MANUEL ALEGRE

A senhora Merkel e o senhor Schäuble não podem impor à Europa uma doutrina de soberania limitada semelhante àquela que Brejnev instituiu para os países do leste europeu depois da Primavera de Praga em 1968 e da invasão da então Checoslováquia pelos blindados do Pacto de Varsóvia. É isso que está em causa nas eleições que vão disputar-se na Grécia, berço da democracia e da civilização europeia. Um problema de liberdade: os eleitores gregos têm o direito de decidir livremente sem chantagens nem ameaças.
Mas não é só um problema de liberdade para a Grécia. Está em causa também uma concepção da Europa, a liberdade e a soberania dos países da União Europeia. Ou uma Europa entendida como União entre Estados soberanos e iguais, ou uma Europa diminuída e pervertida, com um país dominante e uma Comissão Europeia submissa a ditarem as regras e a decidirem o que cada país pode ou não pode fazer.
Uma tal Europa é um atentado à liberdade e uma nova forma de autoritarismo. Por isso as eleições gregas são tão importantes. Não se trata de ser por ou contra o Syriza, mas de ser por ou contra o direito de os gregos escolherem quem muito bem entenderem. Uma ameaça a este direito dos eleitores gregos é uma ameaça à liberdade e à soberania de todos os povos da União Europeia.
Nem só com tanques se invade um país e se mata uma primavera. Quem coloca os mercados acima dos Estados e quem faz chantagem sobre o sentido de votos dos eleitores gregos está a invadir a Grécia e está a invadir-nos a todos nós. Nas eleições gregas, não vai apenas decidir-se o futuro político próximo da Grécia. Vai definir-se o futuro da liberdade e da democracia na Europa.
Fundador do PS
           

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

POBRE PAÍS

A ministra Cristas nomeia a irmã da ministra da (in)Justiça como Subdirectora

A ministra Cristas nomeia a irmã da ministra da (in)Justiça como Sub directora


                                É FARTAR VILANAGEM


Maria Manuela von Hafe Teixeira da Cruz ,

irmã da Ministra da (in)Justiça, Paula Teixeira da Cruz, foi nomeada por Assunção Cristas , sub directora Geral do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Urbano...
 Por 3500 euros mensais com direito a respectivas regalias .

Que sorte...

Há pessoas, cuja  estrelinha brilha mais forte e mais alto.

Trabalhava como assistente técnica na Parque Expo, que o governo vai desmantelar, renomear, privatizar, financiar ou outros cambalachos pouco recomendáveis.

Certamente a Maria Manuela iria engrossar os números do desemprego ,

Mas quis o destino que abrisse milagrosamente uma vaga no ministério da Assunção Cristas...

Não foi preciso seleccionar, ir a entrevistas ou sujeitar-se a avaliações ...

Bastou apenas, ter a felicidade de ser irmã da ministra da (in)justiça.

Que já tinha empregado todo o seu Escritório de Advogados, família, amigos e ainda alguns vizinhos.

A Assunção Cristas, justifica o injustificável e óbvio favor de atribuição do tacho, com as competências da Maria Manuela...

Paga por nós nomeada por vós...

Fruto de um acaso de fortuitidade feliz nunca visto...   Ser parente da  ministra.

Chega a dar vómitos... Tanta sorte!









--