Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 30 de setembro de 2008

SEM COMENTÁRIOS

Eesta hein?

QUEM É ESTA GAJA?


ANA FERNANDES

...A NOVA CEO da EDP Renováveis
...que só vai dar dividendos em 2020!!!




ESPALHEM MAIS ESTE ESCÂNDALO:




Salário Milionário

Com uma remuneração anual fixa de 384 mil euros para 2008, à qual acresce uma contribuição para o plano de pensão e ainda um prémio anual e um prémio plurianual para períodos de três anos, cada um dos quais até uma verba máxima de 100% do salário base.
Ou seja, se todos os seus objectivos de desempenho forem cumpridos, Ana Maria Fernandes receberá mais de 1,1 milhão de euros no seu primeiro ano como presidente de EDP Renováveis após a entrada da empresa na bolsa. Os valores mencionados constam do contrato de admissão.

NOTA: São quase 2.000 salários mínimos ou seja cerca o trabalho de 143 anos pelo salário mínimo. Como é possível? É pior do que no Futebol. Assim a EDP obriga os clientes a pagar os erros da sua gestão, como nas dívidas incobráveis que quer exigir aos pagadores honestos.

E EU PERGUNTO... COM QUEM SE DEITA???









































----- Finalizar mensagem encaminhada -----






--------------------------------------------------------------------------------













--------------------------------------------------------------------------------

Novos endereços, o Yahoo! que você conhece. Crie um email novo com a sua cara @ymail.com ou @rocketmail.com.

No virus found in this incoming

NOVAS OPORTUNIDADES

Vai para todos os meus contactos com um recadinho para a Paula, em particular.

Um caso exemplar. Todos os que tiverem dificuldades nos estudos devem arranjar um pretexto para lhes trazerem a casa um diploma de doutor.

Amiga Paula, fala nisso com as tuas amizades para conseguires um doutoramento para o Bruno. Ele que comece a procurar a picada para lá chegar. O Póvoa era dos Super Dragões, mas o Bruno é militar, o que não deve ser considerado menos importante!!! Não te parece? Ele que trate do caso.

Cumprimentos



O atleta vai das Novas Oportunidades para o curso de Medicina



Pedro Póvoa concluiu o 12º ano um dia antes de viajar para a China, para participar nos Jogos Olímpicos. O português do taekwondo frequentou o programa Novas Oportunidades e foi aprovado. E termos académicos, fará uma progressão rápida, uma vez que se segue a candidatura à Universidade. Ainda pensou em escolher Psicologia ou Gestão, mas candidatou-se a uma vaga na Faculdade de Medicina da Universidade do Minho e deve entrar, dado que tem estatuto de atleta de alta competição. O problema será depois compatibilizar um curso tão exigente com os treinos.



Quando era adolescente, Pedro Póvoa fazia parte dos Ultras da Ribeira no apoio ao FC Porto. Há duas semanas, o líder dos Super Dragões, Fernando Madureira, apresentou-o a um dirigente do clube para ser estudada a sua contratação.



É mais uma história de sucesso do Programa Novas Oportunidades, o tal programa tão elogiado pelo primeiro-ministro. Um programa que conduzirá Portugal ao primeiro lugar mundial nas estatísticas sobre Educação. Agora, ficamos a saber que Pedro Póvoa, atleta de Taekwondo, vai entrar em Medicina sem nunca ter posto os pés numa escola secundária. Desta forma, o Governo manda uma mensagem a todos os jovens portugueses: não é preciso estudar Biologia nem Química para entrar em Medicina. Nem é preciso frequentar o ensino secundário durante 3 anos. Bastam 6 meses no Nova Oportunidades. E a Ordem dos Médicos fica calada? Está revoltado? Não vale a pena revoltar-se. Não queira ser apelidado de 'pessimista de serviço'!



Já se sabia que o Nova Oportunidades está a dar diplomas do ensino secundário à velocidade da luz. Ficamos agora a saber que há quem veja nele o caminho mais curto para ser médico. Já tínhamos engenheiros civis sem Matemática e Física do secundário, economistas sem Matemática e linguistas sem Latim. Agora passamos a ter médicos que tiraram o 12º ano em 6 meses. Estudar Biologia? Para quê? Química? Não é preciso! Matemática? É chato!





--------------------------------------------------------------------------------
Conheça já o Windows Live Spaces, o site de relacionamentos do Messenger! Crie já o seu!

--------------------------------------------------------------------------------
C

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Afinal nem tudo está mal ( para alguns)

Enc: EDP - Estudo económico





---

Vale a pena ver.

JP






Caro(a) amigo(a)


O presidente da CE do Conselho da Administração da EDP, ufano e sorridente, acabou de apresentar as contas do grupo referentes ao 1º semestre de 2008. E, de acordo com essas contas, a EDP obteve, em apenas 6 meses, lucros de 962,4 milhões de euros antes de impostos, o que representa um aumento de 44% relativamente aos obtidos em idêntico período de 2007. Como os impostos a pagar subiram apenas 4% ( a taxa efectiva desceu 7 postos percentuais), apesar dos lucros terem aumentado 44%, os lucros líquidos cresceram 56,6%, e os lucros a distribuir aos accionistas subiram 66,6%

Neste estudo, para além desta análise dos resultados das contas apresentadas pela EDP, mostro que esses elevadíssimos lucros são conseguidos à custa de preços de electricidade impostos pela empresa a mais de 4 milhões de consumidores domésticos que são superiores entre 16,4% e 21,1% aos preços médios da União Europeia. Nessa análise utilizo os preços de electricidade sem impostos, porque são aqueles que revertem integralmente para as
empresas e que constituem a fonte dos seus elevadíssimos lucros.

Para toda esta situação tem contado não só a passividade do governo mas fundamentalmente o comportamento colaborante da própria entidade reguladora, a ERSE, que no lugar de exercer uma fiscalização actuante, tem até apresentado propostas que só beneficiam a empresa, de que são exemplos a proposta das dívidas incobráveis da EDP serem pagas pelos consumidores que pagam, assim como a relativa à chamada tarifa social que analiso no meu
estudo.

Apesar destes elevadíssimos lucros a EDP prepara-se para tentar impor em 2009 um aumento de preços várias superior à subida dos salários, com a justificação da existência de um elevado défice tarifário. É de prever que para isso conte com o apoio da ERSE. A campanha com esse objectivo já começou em vários órgãos de comunicação social.

Espero que este estudo possa ser útil.

Com consideração

Eugénio Rosa
Economista

Exmo.(a) Sr.(a)

Neste estudo que envio analiso o aumento dos lucros extraordinários da GALP no 1º semestre de 2008 em 159% , assim como a Proposta de Lei nº 418/2008
que o governo enviou para a Assembleia da República sobre a chamada "Taxa Robim dos Bosques", bem como a Resolução do Conselho de Ministros nº 55/2008
que concede um beneficio fiscal à GALP no montante de 211,8 milhões de euros.

Espero que ele seja útil

Com consideração

Eugénio Rosa
Economista
--

"Este Governo não cairá porque não é um edifício; sairá com benzina porque é uma nódoa"- Eça de Queirós - O Conde de Abranhos















--------------------------------------------------------------------------------

Novos endereços, o Yahoo! que você conhece. Crie um email novo com a sua cara @ymail.com ou @rocketmail.com.

No virus found in this incoming message.
Checked by AVG - http://www.avg.com
Version: 8.0.169 / Virus

domingo, 28 de setembro de 2008



MINISTÉRIODA EDUCAÇÃO…OU DAS “ BARRACAS” ?

• Enquanto Sua Excelência, o primeiro ministro( diplomado pela Universidade Independente) e a sua ministra dita da educação…andavam em manobra publicitária pelas escolas do nosso país..distribuindo alguns computadores ditos como de origem portuguesa( afinal já há nos existentes noutros países e com origem americana) os serviços do tal dito ministério da educação…davam mais uma “barraca”por terem colocado mais de 40 alunos no ensino superior com base numa portaria inválida.
• Até quando vamos ter de aturar tanta incompetência?

Anedota

Um menino regressa da escola cansado e faminto e pergunta à mãe:
> 'Mamã, que há de comer?'
> 'Nada, meu filho.' O menino olha para o papagaio, que têm na
gaiola, e
> pergunta:
> 'Mamã, porque não há papagaio com arroz?'
> 'Porque não há arroz.'
> 'E papagaio no forno?'
> 'Não há gás.'
> 'E papagaio no grelhador eléctrico?'
> 'Não há electricidade.'
> 'E papagaio frito?'
> 'Não há azeite.'
>
> E o papagaio contentíssimo gritava: -'VIVA SÓCRATES !!! VIVA
SÓCRATES'
>

E a escandaleira continua

Segundo o jornal Sol, quatro grandes escritórios de advogados, receberam um terço do dinheiro gasto pelo(s) Governo(s),

em pareceres, no período 2003-2006.



Sérvulo Correia, Rui Pena, Galvão Teles e José Miguel Júdice, são os felizes

contemplados da prodigalidade de uns tantos indivíduos, eleitos por via indirecta, para nos governarem

e que dispõem a seu bel-prazer, sem prestarem contas directas, nem mostrarem o que fazem concretamente,

do dinheiro de todos nós. E até se dão ao luxo asiático, de recusarem mostrar números e nomes, a quem

lhos pede para publicação.

Têm vergonha, certamente. E com razão, diga-se.

Aqueles e mais uns tantos, receberam cerca de 15 milhões de euros, do erário público, para

elaborarem pareceres... jurídicos!



Sem qualquer concurso público, que isso é para os outros.

A única excepção é a do ministro Jaime Silva que decidiu contratar por concurso e o escritório de

Laureano Santos, recebeu 6 mil euros, durante dois anos.

O Governo, notoriamente, não tem assessores à altura destas luminárias incandescentes, para a tarefa,

apesar de os contratar a peso de ouro, com ordenados fora da tabela e com justificações mirabolantes no

diário da República. Os auditores jurídicos dos ministérios, também não contam, para este totobola.


Contam outros critérios, não esclarecidos pelo Governo. E fica muito, mas mesmo muito por contar.
Por exemplo, não se conta, quanto é que o Governo efectivamente gastou por via indirecta, com os famigerados

Institutos públicos e as empresas de capitais públicos.


É com estes organismos que o erário público se esvai em pareceres jurídicos. Milhões e milhões, são gastos

por conta de todos, nas Parpúblicas e outras que tais. Neste Orçamento que corre, há mais de 180

milhões para estas faenas, sem contabilidade directa e transparente.
Por isso mesmo, ficamos agora a saber que Vital Moreira, recebeu do Governo 21 175 euros.

Para quê? Para dizer bem, certamente, em forma de parecer.


Ficamos a saber que João Pedroso, arrecadou a bela maquia de 62 910 euros, por dois pareceres ou estudos

ou lá o que foi que de resto pouco deve interessar saber. Segundo consta, anda agora a receber por conta

do ministério da Educação, para compilar legislação.

Porém, não ficamos ainda a saber quanto é que a Parpública pagou efectivamente ao escritório de

José Miguel Júdice. E parece que não vamos saber tão cedo. A transparência democrática é um logro,

com esta gente que faz de todos nós um bando de parvos.

Segundo o artigo do Sol, fica a saber-se que uma boa parte da legislação, é feita em completo out-sourcing.

Privado. Afinal, o legislador, penal e não só, é uma entidade anónima ou nem tanto, que apresenta o trabalho feito,

ao patrocinador, o Estado.

E depois, guarda para si, o trabalho preparatório que lhe servirá para fornecer pareceres, mais tarde, a outros privados,

carenciados de ajuda, na interpretação das leis aprovadas pelo patrocinador.
Entidade que sobre este assunto, nem tuge nem muge, nem mostra quem a ordenha.





Democratizado por Tiago Soares Carneiro

Discriminação

Caro (a) amigo (a)

A descriminação salarial a que continuam sujeitas as mulheres em Portugal,
pelo facto de serem mulheres, é uma fonte acrescida da exploração e de sobre
lucros para as entidades patronais. Neste estudo, utilizando apenas dados
oficiais dos quadros de pessoal das empresas divulgados pelo próprio governo
(Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social) estimo que os lucros das
entidades patronais resultantes só da discriminação a que contiuam a
sujeitar as trabalhadoras, pelo facto de serem mulheres, deverão atingir em
2008 cerca de 6.068 milhões de euros.

Chamo a atenção para o caso paradigmático do sector corticeiro, onde domina
o grupo Amorim do homem mais rico de Portugal (fortuna de 3.106 milhões de
euros), onde 5.000 mulheres, pelo facto de serem mulheres, são enquadradas
no grupo XVI da tabela salarial e ganham apenas 544,5 euros e os homens a
fazerem o mesmo são enquandrados no grupo XIV e ganham 642,16 euros. Repito,
e isto apesar de fazerem o mesmo (elas são laminadoras, e eles
laminadores).

Esta diferença no salário das mulheres de menos 97,66 euros/mês dá aos
patrões do sector corticeiro um lucro extra de 6,8 milhões de euros ao ano
resultante da discriminação a que continuam a sujeitar as mulheres.

Face à denuncia e à pressão dos sindicatos os patrões do sector
corticeiro reconheceram a discriminação que praticam mas exigem uma prazo
de 8 anos para a eliminar pois só aceitam que o salário das mulheres seja
aumentado 12,5 euros/ano para igualizar os salários das mulheres e dos
homens.

E isto apesar da situação existente e da proposta dos patrões violar o artº
28 do Código do Trabalho e o artº 59 da Cosntituição da República.

Apesar desta situação ser conhecida pelo governo, pois a proposta foi
entregue no Ministério do Trabalho, este nada faz para acabar imediatamente
como essa discriminação flagrante como exige a lei e a Constituição da
República.

Espero que este este estudo possa ser útil.

Com consideração,

Eugénio Rosa
Economista

sábado, 27 de setembro de 2008

Lá e cá

Espanha aqui tão perto...

Condenada pela agressividade do seu filho

O título bem poderia ser 'Condenada pela agressividade do seu educando
ou as razões porque, por cá, somos tão estranhos'.

Em Portugal uma aluna agride a professora. Pena máxima: transferência
de escola. Ou seja: 'Passa a outro e não ao mesmo'!

Em Espanha, os pais são responsabilizados. Leia-se este artigo no El
País (que aqui publicamos).

Vale a pena ler e repassar, para ver se este artigo chega ao PR, ao
PM, ao PGR ou a qualquer outro que tenha responsabilidades neste país
onde os pais nunca são responsabilizados pela educação que dão aos
filhos...

Uma colega, num e-mail que me enviou, dizia 'Se eu fôr atacada por um
cão, que é um animal irracional, o dono é responsável pelos actos e
pelos danos que o animal causar. Mas se eu for 'atacada' por um aluno,
a culpa é minha porque não soube impôr respeito.

Como é que os pais podem ser desresponsabilizados pelas atitudes dos
filhos, pelos valores e exemplos que lhes deram, pela falta de cuidado
e de preocupação com que os deixaram crescer em auto-gestão, sem lhes
impor regras nem limites?

Já a minha avó dizia que 'de pequenino é que se torce o pepino'. Mas
hoje os pais têm medo de educar os filhos; têm medo que eles fiquem
traumatizados porque, ao obrigá-los a pôr o cinto na cadeirinha do
carro, eles começam chorar...

É lógico que aos 10 - 15 anos (quando não mais cedo) o 'pepino' já
está demasiado torcido e 'Quem torto nasce, tarde ou nunca se
endireita'.

Eis a notícia:

Confira a notícia no El País.

Condenada pela agressividade do seu filho

O Tribunal de Sevilha condenou uma mãe pelo 'laxismo e tolerância' que
provocou a atitude violenta do seu educando.

O Tribunal de Sevilha condenou uma mulher ao pagamento de uma multa de
14.000 euros por causa de uma agressão do seu filho ocorrida no
Instituto de Secundaria em que anda a estudar. O tribunal considerou
que o 'laxismo e tolerância' da mulher na educação do menor é que
motivaram o comportamento violento do adolescente.

A multa servirá para pagar o tratamento de reconstituição dos dentes
do outro menor, colega no Instituto Castilla de Castilleja de la
Cuesta, Sevilha. Durante o julgamento, a mulher tentou atribuir a
responsabilidade ao centro educativo por não ter executado as 'tarefas
suficientes de vigilância' sobre os alunos, mas a sentença ajuizou que
os adolescentes não necessitam de uma vigilância tão rígida, antes que
'a brutalidade e intensidade' da agressão evidenciam 'uma falta de
comunicação ou assimilação de educação e a moderação de costumes no
agressor para uma convivência assente em valores'.

O Tribunal confirma assim a primeira decisão judicial que referia uma
'educação incorrecta ', que os juízos comparam com aquelas situações
em que os progenitores 'permitem ou não se preocupam em controlar os
seus filhos para que não levem para as escolas objectos que possam
tornar-se, por si mesmos, perigosos'.'







--------------------------------------------------------------------------------




--------------------------------------------------------------------------------
Conheça já o Windows Live Spaces, o site de relacionamentos do Messenger! Crie já o seu!

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Mentirosos...

OCDE DESMENTE O MINISTÉRIO
O que o Ministério sabe mas esconde cobardemente, de forma a virar os portugueses menos esclarecidos contra os que trabalham dia a dia para dar um futuro melhor aos filhos dos outros.

'Os PROFESSORES em Portugal não são assim tão maus...'

Consulte a última versão (2006) do Education at a Glance, publicado pela OCDE, em http://www.oecd.org/dataoecd/44/35/37376068.pdf.


Se for à página 58, verá desmontada a convicção generalizada de que os professores portugueses passam pouco tempo na escola e que no estrangeiro não é assim.
É apresentado, no estudo, o tempo de permanência na escola, onde os professores portugueses estão em 14º lugar (em 28 países), com tempos de permanência superiores aos japoneses, húngaros, coreanos, espanhóis, gregos, italianos, finlandeses, austríacos, franceses, dinamarqueses, luxamburgueses, checos, islandeses e noruegueses!

No mesmo documento de 2006 poderá verificar, na página 56, que os professores portugueses estão em 21º lugar (em 31 países) quanto a salários!
Na página 32 poderá verificar que, quanto a investimento na educação em relação ao PIB, estamos num modesto 19º lugar (em 31 países) e que estamos em 23º lugar (em 31 países) quanto ao investimento por aluno.


E isto, o M.E. não manda publicar...
Não tem problema. Já estamos habituados a fazer todos os serviços.
Nós divulgamos aqui e passamos ao maior número de pessoas possível, para que se divulgue e publique a verdade.

DIVULGUE, POR FAVOR!









--------------------------------------------------------------------------------
Receba GRÁTIS

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Eles..e nós

Jorge Sampaio e filhotes...



Cada vez que me lembro que nós tivemos este país nas mãos, que fomos acusados de não termos experiência política, o que era verdade, e fomos entregar o poder a estes energúmenos (não só o PS, todos!), dá-me vontade de voltar atrás e fazer outra... só que agora é tarde, paciência, temos de os aturar. Este povão tem os políticos que merece.





Soube-se no passado dia 27 de Agosto, pelo Público, que a jovem e
distinta advogada
Vera Sampaio (terminou o curso com média de 10 val) com uma carreira de
'dezenas de anos e larga experiência' foi contratada como assessora pelo
membro do Governo, Senhor Doutor Manuel Pedro Cunha da Silva Pereira,
distinto Ministro da Presidência....



Como a tarefa não é muito cansativa foi autorizada a continuar a dar aulas



numa qualquer universidade privada onde ganha uns tostões para compor o
salário e poder aspirar a ter uma vidinha um pouco mais desafogada.

O facto de ser filha do Senhor Ex-Presidente da República das Bananas que
também dá pelo nome de Portugal, não teve nada a ver com este reconhecimento
das suas capacidades. Nada! Juro pela saúde do Sr.
Engenheiro Sócrates.



Há famílias a quem a mão do Senhor toca com a sua graça. Ámen. Já agora,
como se devem recordar, ainda relativamente a esta família, soube-se há
tempos que o filhote, depois de se ter formado, foi logo para consultor da
Portugal Telecom, onde certamente porá 'toda a sua experiência' ao serviço
de todos nós.



Agora, como já ontem se disse, calhou a sorte à maninha e lá vai ela toda
lampeira em part-time para o desgoverno, onde certamente porá também 'toda a
sua experiência' ao serviço de todos nós.



O papá para não fugir à regra, depois de escavacar uns bons centos de
milhares de euros nossos na remodelação do um palacete ali para os lados da
Ajuda, onde instalará um gabinete, vai ser transportado pelo nosso carro,
com o nosso motorista e onde certamente, para não fugir ao lema familiar,
porá, de novo, toda a sua experiência ao serviço de todos nós. Agora, foi
nomeado Administrador da Gulbenkian...



Tudo isto, por mero acaso, se passa num sítio mal frequentado que se chama
PORTUGAL, onde um milhão e duzentas mil pessoas vivem com uma reforma abaixo
dos 375 Euros por mês. Parece mentira, não parece ?



ESTE É MAIS UM CASO, ENTRE MUITOS, REVELADOS E DIVULGADOS ATRAVÉS DA
INTERNET, PORQUE AS TELEVISÕES DESTE PAÍS, ESTÃO BEM CONTROLADAS POR
FORÇAS OCULTAS....,










No

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Apenas anedota... é pena

O director da Penitenciária, com ajuda de um megafone, diz aos presos no pátio:



- Atenção! Chega de preguiça! Chega de bandalheira! Quero toda a gente a varrer e a limpar esta porcaria! Amanhã chega o primeiro-ministro José Sócrates.

Um dos presos comenta com outro:

- Caramba! Custou, mas prenderam o gajo...

Comentário do jornal " Público"

Anatomia de um golpe
19.09.2008, António Vilarigues

A mesma visão que permitiu o golpe de Estado contra Allende continua hoje em vigor nos EUA e na comunicação social



1. A 11 de Setembro de 1973, no Chile de Salvador Allende (cujo centenário do nascimento se comemora neste ano de 2008), Augusto Pinochet executava a fase final de um golpe. Golpe há muito preparado e anunciado pela comunicação social dominante como "inevitável". Golpe que desde o início foi fomentado, financiado e apoiado pela CIA, obedecendo às ordens da Administração Nixon.
Um ano depois da sangrenta tomada do poder, o então Presidente (não eleito, sublinhe-se) Gerald Ford foi entrevistado pela revista Time. Questionado sobre que lei internacional dava aos EUA o direito de tentar desestabilizar um governo constitucionalmente eleito de outro país respondeu lapidar: "Não vou pronunciar-me aqui sobre se isso é ou não permitido por leis internacionais. É um facto reconhecido, no entanto, que tanto historicamente como no presente tais acções se aplicam no melhor interesse dos países envolvidos. O nosso governo, tal como outros governos, empreende essas acções para ajudar a boa orientação das políticas externas e para proteger a segurança nacional... A CIA tentou ajudar, no Chile, a preservação dos jornais opositores e das rádios e apoiar os partidos da oposição."
Esta visão continua hoje em vigor nos EUA e na comunicação social dominante. Analisemos o que está acontecer na Bolívia.
Os mesmos que estão sempre prontos a dar lições de democracia aos outros noticiaram como facto trivial o recente referendo convocado neste país pelo presidente Evo Morales. De notar que este acto se realizou a meio de um mandato obtido em 2006 com 53,4 por cento dos votos. Que o Presidente, para se manter em funções, teria de ter mais votos do que quando foi eleito (se, por exemplo, tivesse tido 53 por cento, teria de abandonar o cargo). Que Evo Morales recolheu 67 por cento dos votos.
Pois qual a linha dominante de análise dos mais recentes acontecimentos na Bolívia? A culpa é de Evo Morales, pois claro. O malandro nacionalizou as indústrias de gás e do petróleo, respeitando assim o seu programa eleitoral sufragado nas eleições. O desestabilizador, vejam lá, canalizou as verbas do petróleo e do gás natural para um programa nacional de assistência a idosos. Mais: fê-lo sem atender às exigências dos (33 por cento de votos no referendo) que, nas respectivas regiões, consideravam que essas verbas eram deles e só deles e não do país. Mas não se ficam por aqui na sua absurda argumentação. Se Evo Morales não aceitar os "conselhos" da chamada "comunidade internacional", abdicando da sua luta pela libertação e promoção social dos mais desprotegidos do seu país, então são de esperar as inevitáveis consequências.
Será que os que assim escrevem e falam não se apercebem que, queiram ou não, estão a preparar o terreno para novos 11 de Setembro de 1973? E o que proclamariam se as autarquias do PSD, ou da CDU, se recusassem, por exemplo, a entregar os impostos cobrados no seu território, a pretexto de que discordavam do TGV ou do novo aeroporto? E se as referidas câmaras ameaçassem separar-se e proclamar a independência? E se, pela violência, promovessem o assalto e vandalização dos edifícios governamentais? E matassem quem defendesse o governo legítimo de Portugal? Alguém duvida do que diriam e escreveriam?

2. Uma nota a propósito da "democracia" das eleições americanas. Em 2004 esteve-se à beira de um absurdo e de um escândalo de ainda maiores proporções do ponto de vista numérico do que o ocorrido quatro anos antes com Al Gore. E, curiosamente, de sentido político contrário. Com efeito, John Kerry teve menos
três milhões de votos que George W. Bush. Mas se tem ganho no estado do Ohio, para o que só teria precisado de mais 150 mil votos, teria sido ele o Presidente eleito. Como escreve o Vítor Dias, parece pois que nas "grandes democracias" há uns "pequenos" problemas democráticos. Especialista em Sistemas de Comunicação e Informação (anm_vilarigues@hotmail.com)

sábado, 20 de setembro de 2008

Exame de química

Num exame de Química
- Qual a diferença entre solução e dissolução?
Resposta do aluno:
- Se colocarmos um membro do governo em ácido sulfúrico e esperarmos
que se dissolva, temos uma dissolução; se fizermos o mesmo com o
governo inteiro obtemos a solução.

MUITO BOM.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Carta aberta

Exma. Senhora Ministra da Educação:
Que nota acha que devo dar a este aluno...
Passar ..certamente...mas com que nota?
Subject: COMPOSIÇÃO DE ALUNO SOBRE: 'os aluno s n devem d xumbar qd n vam á escola'



SÓ PELA CLAREZA DAS IDEIAS,O ALUNO QUE ESCREVEU O TEXTO MERECE NOTA MÁXIMA.


TEXTO:


Eu axo q os alunos n devem d xumbar qd n vam á escola. Pq o aluno tb tem
direitos e se n vai á escola latrá os seus motivos pq isto tb é perciso
ver q
á razões qd um aluno não vai á escola. primeiros a peçoa n se sente
motivada

pq axa q a escola e a iducação estam uma beca sobre alurizadas.

Valáver, o q é q intereça a um bacano se o quelima de trásosmontes é munto
montanhoso? ou se a ecuação é exdruxula ou alcalina? ou cuantas estrofes
tem

um cuadrado? ou se um angulo é paleolitico ou espongiforme? Hã?

E ópois os setores ainda xutam preguntas parvas tipo cuantos cantos tem 'os

lesiades', q é um livro xato e q n foi escrevido c/ palavras normais mas q
no
aspequeto é como outro qq e só pode ter 4 cantos comós outros, daaaah.

Ás veses o pipol ainda tenta tar cos abanos em on, mas os bitaites dos
profes
até dam gomitos e a malta re-sentesse, outro dia um arrotou q os jovens n
tem
abitos de leitura e q a malta n sabemos ler nem escrever e a sorte do
gimbras
foi q ele h-xoce bué da rapido e só o 'garra de lin-chao' é q conceguiu
assertar lhe com um sapato. Atão agora aviamos de ler tudo qt é livro
desde o
Camóes até á idade média e por aí fora, qués ver???

O pipol tem é q aprender cenas q intressam como na minha escola q á um
curço
de otelaria e a malta aprendemos a faser lã pereias e ovos mois e piças de
xicolate q são assim tipo as pecialidades da rejião e ópois pudemos ganhar
um
gravetame do camandro. Ah poizé. tarei a inzajerar?

Diferenças

diferença entre Portugal e a República Checa é que a República Checa tem o governo em Praga e Portugal tem a Praga no governo.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

A salvação da Pátria

PLANO PARA SALVAR PORTUGAL DA CRISE...

Passo 1:
Trocamos a Madeira e os Açores pela Galiza, mas os espanhóis têm que levar o Sócrates.

Passo 2:
Os galegos são boa onda, não dão chatices e ainda ficamos com o dinheiro gerado pela Zara (é só a 3ª maior empresa de vestuário).A indústria têxtil portuguesa é revitalizada. A Espanha fica encurralada entre os Bascos e o Sócrates.

Passo 3:
Desesperados, os espanhóis tentam devolver o Sócrates. A malta não aceita.

Passo 4:
Oferecem também o Pais Basco. A malta mantém-se firme e não aceita.

Passo 5:
A Catalunha aproveita a confusão para pedir a independência. Cada vez mais desesperados, os espanhois devolvem-nos a Madeira e os Açores e dão-nos ainda o Pais Basco e a Catalunha. A contrapartida é termos que ficar com o Sócrates.
A malta arma-se em difícil mas aceita.

Passo 6:
Damos a independência ao País Basco. A contrapartida é eles ficarem com o Sócrates. A malta da Eta pensa que pode bem com ele e aceita sem hesitar.
Sem o Sócrates Portugal torna-se um paraíso e a Catalunha não causa problemas.

Passo 7:
Afinal a Eta não aguenta o Sócrates, e o País Basco pede para se tornar território português. A malta faz-se difícil mas aceita (apesar de estar lá o Sócrates).

Passo 8:
Fazemos um acordo com o Brasil. Eles enviam-nos o lixo e nós mandamos-lhes o Sócrates.

Passo 9:
O Brasil pede para voltar a ser colónia portuguesa. A malta aceita e manda o Sócrates para os Farilhões das Berlengas apesar das gaivotas perderem as penas e as andorinhas do mar deixarem de por ovos.

Passo 10:
Com os jogadores brasileiros mais os portugueses Portugal torna-se campeão do mundo de futebol!

Passo 11:
Os espanhóis ficam tão desmoralizados, que nem oferecem resistência quando os mandamos para Marrocos.

Passo 12:
Unificamos finalmente a Península Ibérica sob a bandeira portuguesa.

Passo 13:
A dimensão extraordinária adquirida que une a Península e o Brasil, torna-nos verdadeiros senhores do Atlântico. Colocamos portagens no mar, principalmente para os barcos americanos, que são sujeitos a uma sobretaxa tão elevada que nem o preço do petróleo os salva.

Passo 14:
Economicamente asfixiados eles tentam aterrorizar-nos com o Bin Laden, mas a malta ameaça enviar-lhes o Sócrates e eles rendem-se incondicionalmente. Está ultrapassada a crise!

Facílimo, não?!!!

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

sábado, 13 de setembro de 2008

T G V

reenvio......
Este é o pensamento político que temos , está em todas:
· Estádios de futebol, hoje às moscas,
· TGV,
· novo aeroporto,
· nova ponte,
· auto-estradas onde bastavam estradas com bom piso,
· etc. etc.
A quem na verdade serve tudo isto?

PORTUGUESES, LEIAM AS LINHAS SEGUINTES E PENSEM
A QUEM VAI SERVIR O TGV ...
1. AOS FABRICANTES DE MATERIAL FERROVIÁRIO,
2. ÀS CONSTRUTORAS DE OBRAS PÚBLICAS E .CLARO,
3. AOS BANCOS QUE VÃO FINANCIAR A OBRA .
OS PORTUGUESES FICARÃO - UMA VEZ MAIS
- ENDIVIDADOS DURANTE DÉCADAS

POR CAUSA DE MAIS UMA OBRA MEGALÓMANA ! ! !


Experimente ir de Copenhaga a Estocolmo de comboio.

Comprado o bilhete, dá consigo num comboio que só se diferencia dos
nossos 'Alfa' por não ser tão luxuoso e ter menos serviços de apoio
aos passageiros.

A viagem, através de florestas geladas e planícies brancas a perder de
vista, demorou cerca de cinco horas.

Não fora conhecer a realidade económica e social desses países,
Daria comigo a pensar que os nórdicos,
emblemáticos pelos superavites orçamentais,
seriam mesmo uns tontos.

Se não os conhecesse bem perguntaria onde gastam eles os abundantes
recursos resultantes da substantiva criação de riqueza.

A resposta está na excelência das suas escolas,
· na qualidade do seu Ensino Superior,
· nos seus museus e escolas de arte,
· nas creches e jardins-de-infância em cada esquina,
· nas políticas pró-activas de apoio à terceira idade.


Percebe-se bem porque não
· construíram estádios de futebol desnecessários,
· constroem aeroportos em cima de pântanos,
· nem optam por ter comboios supersónicos que só agradam a meia dúzia de multinacionais.
O TGV é um transporte adequado a países de dimensão continental,
extensos,
onde o comboio rápido é,
numa perspectiva de tempo de viagem/custo por passageiro,
competitivo com o transporte aéreo.

É por isso que, para além da já referida pressão de certos grupos que
fornecem essas tecnologias, só existe TGV em França ou Espanha
(com pequenas extensões a países vizinhos).

É por razões de sensatez que não o encontramos
· na Noruega,
· na Suécia,
· na Holanda
· e em muitos outros países ricos.

Tirar 20 ou 30 minutos ao 'Alfa' Lisboa-Porto
à custa de um investimento de cerca de 7,5 mil milhões de euros
não trará qualquer benefício à economia do País.

Para além de que,
dado ser um projecto praticamente não financiado pela União Europeia,
ser um presente envenenado para várias gerações de portugueses que,
com mais ou menos engenharia financeira, o vão ter de pagar.

Com 7,5 mil milhões de euros podem construir-se:
- 1000 (mil) Escolas Básicas e Secundárias de primeiríssimo mundo
que substituam as mais de cinco mil obsoletas e subdimensionadas existentes
(a 2,5 milhões de euros cada uma);

- mais 1.000 (mil) creches
(a 1 milhão de euros cada uma);
- mais 1.000 (mil) centros de dia para os nossos idosos
(a 1milhão de euros cada um).

E ainda sobrariam cerca de 3,5 mil milhões de euros
para aplicar em muitas outras carências
como, por exemplo,
na urgente reabilitação de toda a degradada rede viária secundária.

Cabe ao Governo reflectir.

Cabe à Oposição contrapor.
Cabe-lhe a si
participar
Se concordar,
reencaminhe esta mensagem!

Um artigo a ler

Vale a pena ler!

CLARA FERREIRA ALVES, ATERRADORA...

A justiça portuguesa não é apenas cega, é surda, muda, coxa e marreca -
Clara Ferreira Alves - Expresso

Portugal tem um défice de responsabilidade civil, criminal e moral muito
maior do que o seu défice financeiro, e nenhum português se preocupa com
isso apesar de pagar os custos da morosidade, do secretismo, do
encobrimento, do compadrio e da corrupção. Os portugueses, na sua infinita
e pacata desordem existencial, acham tudo "normal" e encolhem os ombros.

Por uma vez gostava que em Portugal alguma coisa tivesse um fim, ponto
final, assunto arrumado. Não se fala mais nisso. Vivemos no país mais
inconclusivo do mundo, em permanente agitação sobre tudo e sem concluir
nada.

Desde os Templários e as obras de Santa Engrácia, que se sabe que, nada
acaba em Portugal, nada é levado às últimas consequências, nada é
definitivo e tudo é improvisado, temporário, desenrascado.

Da morte de Francisco Sá Carneiro e do eterno mistério que a rodeia, foi
crime, não foi crime, ao desaparecimento de Madeleine McCann ou ao caso
Casa Pia, sabemos de antemão que nunca saberemos o fim destas histórias, nem o
que verdadeiramente se passou nem quem são os criminosos ou quantos crimes
houve.

Tudo a que temos direito são informações caídas a conta-gotas, pedaços de
enigma, peças do quebra-cabeças. E habituámo-nos a prescindir de apurar a
verdade porque intimamente achamos que não saber o final da história é
uma coisa normal em Portugal e que este é um país onde as coisas
importantes são "abafadas", como se vivêssemos ainda em ditadura.

E os novos códigos Penal e de Processo Penal em nada vão mudar este
estado de coisas. Apesar dos jornais e das televisões, dos blogs, dos
computadores e da Internet, apesar de termos acesso em tempo real ao
maior número de notícias de sempre, continuamos sem saber nada, e esperando
nunca vir a saber com toda a naturalidade.

Do caso Portucale à Operação Furacão, da compra dos submarinos às escutas
ao primeiro-ministro, do caso da Universidade Independente ao caso da
Universidade Moderna, do Futebol Clube do Porto ao Sport Lisboa Benfica,
da corrupção dos árbitros à corrupção dos autarcas, de Fátima Felgueiras a
Isaltino Morais, da Braga parques ao grande empresário Bibi, das queixas
tardias de Catalina Pestana às de João Cravinho, há por aí alguém que
acredite que algum destes secretos arquivos e seus possíveis e alegados,
muitos alegados crimes, acabem por ser investigados, julgados e devidamente
punidos?

Vale e Azevedo pagou por todos.

Quem se lembra dos doentes infectados por acidente e negligência de
Leonor Beleza com o vírus da sida?
Quem se lembra do miúdo electrocutado no semáforo e do outro afogado num
parque aquático?
Quem se lembra das crianças assassinadas na Madeira e do mistério dos
crimes imputados ao padre Frederico?

Quem se lembra que um dos raros condenados em Portugal, o mesmo padre
Frederico, acabou a passear no Calçadão de Copacabana?
Quem se lembra do autarca alentejano queimado no seu carro e cuja cabeça
foi roubada do Instituto de Medicina Legal?

Em todos estes casos, e muitos outros, menos falados e tão sombrios e
enrodilhados como estes, a verdade a que tivemos direito foi nenhuma.
No caso McCann, cujos desenvolvimentos vão do escabroso ao incrível,
alguém acredita que se venha a descobrir o corpo da criança ou a condenar
alguém?

As últimas notícias dizem que Gerry McCann não seria pai biológico da
criança, contribuindo para a confusão desta investigação em que a Polícia
espalha rumores e indícios que não têm substância.
E a miúda desaparecida em Figueira? O que lhe aconteceu? E todas as
crianças desaparecida antes delas, quem as procurou?
E o processo do Parque, onde tantos clientes buscavam prostitutos, alguns
menores, onde tanta gente "importante" estava envolvida, o que aconteceu?
Arranjou-se um bode expiatório, foi o que aconteceu.

E as famosas fotografias de Teresa Costa Macedo? Aquelas em que ela
reconheceu imensa gente "importante", jogadores de futebol, milionários,
políticos, onde estão? Foram destruídas? Quem as destruiu e porquê?

E os crimes de evasão fiscal de Artur Albarran mais os negócios escuros
do grupo Carlyle do senhor Carlucci em Portugal, onde é que isso pára? O
mesmo grupo Carlyle onde labora o ex-ministro Martins da Cruz, apeado por
causa de um pequeno crime sem importância, o da cunha para a sua filha.

E aquele médico do Hospital de Santa Maria, suspeito de ter assassinado
doentes por negligência? Exerce medicina?

E os que sobram e todos os dias vão praticando os seus crimes de
colarinho branco sabendo que a justiça portuguesa não é apenas cega, é
surda, muda, coxa e marreca.

Passado o prazo da intriga e do sensacionalismo, todos estes casos são
arquivados nas gavetas das nossas consciências e condenados ao
esquecimento.
Ninguém quer saber a verdade. Ou, pelo menos, tentar saber a verdade.

Nunca saberemos a verdade sobre o caso Casa Pia, nem saberemos quem eram
as redes e os "senhores importantes" que abusaram, abusam e abusarão de
crianças em Portugal, sejam rapazes ou raparigas, visto que os abusos
sobre meninas ficaram sempre na sombra.

Existe em Portugal uma camada subterrânea de segredos e injustiças , de
protecções e lavagens , de corporações e famílias , de eminências e
reputações, de dinheiros e negociações que impede a escavação da verdade.

Este é o maior fracasso da democracia portuguesa


Clara Ferreira Alves - "Expresso"



--


Responder Responder a todos Encaminhar

Vale a pena ler

Escandaloso: HUGO MARÇAL ... JUÍZ !!!

Este processo das crianças violadas vai mesmo ficar em 'águas de bacalhau'.

É incrível a passividade do povo português face a este escândalo da pedofilia. Tem que se fazer justiça ! Façam fwd do mail !!!!

'Hugo Marçal está em vias de ser admitido a frequentar o curso de auditor de justiça do Centro de Estudos Judiciários. O nome do arguido no processo de pedofilia da Casa Pia vem publicado no Diário da República de ontem, entre centenas de candidatos a frequentar a escola que forma os juízes portugueses. Mas ao contrário dos outros, Hugo Marçal não vai prestar provas ....

Pelo facto de ser doutor em Direito - grau académico que terá obtido em Espanha - está por lei «isento da fase escrita e oral» e tem ainda «preferência sobre os restantes candidatos». Resultado: o advogado de Elvas está na prática à beira de ser seleccionado para o curso que formará a próxima geração de magistrados! O nome de Hugo Manuel Santos Marçal
surge na página 4961 do Diário daRepública, 2.ª série, com o número 802, na lista de candidatos a ingressar no CEJ. Se concluir o curso com proveitamento e iniciar uma carreira nos tribunais - primeiro como auditor de justiça, depois como juiz de direito -*Marçal terá também o privilégio de não ser julgado num tribunal de primeira instância*.»

AH,POIS É !!!

É O PAÍS que temos...

Nosso país

Escandaloso: HUGO MARÇAL ... JUÍZ !!!

Este processo das crianças violadas vai mesmo ficar em 'águas de bacalhau'.

É incrível a passividade do povo português face a este escândalo da pedofilia. Tem que se fazer justiça ! Façam fwd do mail !!!!

'Hugo Marçal está em vias de ser admitido a frequentar o curso de auditor de justiça do Centro de Estudos Judiciários. O nome do arguido no processo de pedofilia da Casa Pia vem publicado no Diário da República de ontem, entre centenas de candidatos a frequentar a escola que forma os juízes portugueses. Mas ao contrário dos outros, Hugo Marçal não vai prestar provas ....

Pelo facto de ser doutor em Direito - grau académico que terá obtido em Espanha - está por lei «isento da fase escrita e oral» e tem ainda «preferência sobre os restantes candidatos». Resultado: o advogado de Elvas está na prática à beira de ser seleccionado para o curso que formará a próxima geração de magistrados! O nome de Hugo Manuel Santos Marçal
surge na página 4961 do Diário daRepública, 2.ª série, com o número 802, na lista de candidatos a ingressar no CEJ. Se concluir o curso com proveitamento e iniciar uma carreira nos tribunais - primeiro como auditor de justiça, depois como juiz de direito -*Marçal terá também o privilégio de não ser julgado num tribunal de primeira instância*.»

AH,POIS É !!!

É O PAÍS que temos...

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Ninguém os pára?

E BIB'Ó INGINHEIRO!!!! NINGUÉM O PARARÁ?


Jorge Viegas Vasconcelos despediu-se da ERSE



Era uma vez um senhor chamado Jorge Viegas Vasconcelos, que era presidente de uma coisa chamada ERSE, ou seja, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, organismo que praticamente ninguém conhece e, dos que conhecem, poucos devem saber para o que serve. Mas o que sabemos é que o senhor Vasconcelos pediu a demissão do seu cargo porque, segundo consta, queria que os aumentos da electricidade ainda fossem maiores. Ora, quando alguém se demite do seu emprego, fá-lo por sua conta e risco, não lhe sendo devidos, pela entidade empregador, quaisquer reparos, subsídios ou outros quaisquer benefícios. Porém, com o senhor Vasconcelos não foi assim. Na verdade, ele vai para casa com 12 mil euros por mês - ou seja, 2.400 contos - durante o máximo de dois anos, até encontrar um novo emprego. Aqui, quem me ouve ou lê pergunta, ligeiramente confuso ou perplexo: «Mas você não disse que o
senhor Vasconcelos se despediu?». E eu respondo: «Pois disse. Ele demitiu-se, isto é, despediu-se por vontade própria!». E você volta a questionar-me: «Então, porque fica o homem a receber os tais
2.400contos por mês, durante dois anos? Qual é, neste país, o trabalhador que se despede e fica a receber seja o que for?». Se fizermos esta pergunta ao ministério da Economia, ele responderá, como já respondeu, que «o regime aplicado aos membros do conselho de administração da ERSE foi aprovado pela própria ERSE». E que, «de acordo com artigo 28 dos Estatutos da ERSE, os membros do conselho de
administração estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar desses estatutos». Ou seja: sempre que os estatutos da ERSE foram mais vantajosos para os seus gestores, o estatuto de
gestor público não se aplica. Dizendo ainda melhor: o senhor Vasconcelos (que era presidente da ERSE desde a sua fundação) e os seus amigos do conselho de administração, apesar de terem o estatuto
de gestores públicos, criaram um esquema ainda mais vantajoso para si próprios, como seja, por exemplo, ficarem com um ordenado milionário quando resolverem demitir-se dos seus cargos. Com a bênção
avalizadora, é claro, dos nossos excelsos governantes. Trata-se, obviamente, de um escândalo, de uma imoralidade sem limites, de uma afronta a milhões de portugueses que sobrevivem com ordenados
baixíssimos e subsídios de desemprego miseráveis. Trata-se, em suma, de um desenfreado, abusivo e desavergonhado abocanhar do erário público. Mas voltemos à nossa história. O senhor Vasconcelos recebia 18 mil euros mensais, mais subsídio de férias, subsídio de Natal e ajudas de custo. 18 mil euros seriam mais de 3.600 contos, ou seja, mais de 120 contos por dia, sem incluir os subsídios de férias e
Natal e ajudas de custo. Aqui, uma pergunta se impõe: Afinal, o que é - e para que serve - a ERSE? A missão da ERSE consiste em fazer cumprir as disposições legislativas para o sector energético. E pergunta você, que não é burro: «Mas para fazer cumprir a lei não bastam os governos, os tribunais, a polícia, etc.?». Parece que não. A coisa funciona assim: após receber uma reclamação, a ERSE intervém através da mediação e da tentativa de conciliação das partes envolvidas. Antes, o consumidor tem de reclamar junto do prestador de serviço. Ou seja, a ERSE não serve para nada. Ou serve apenas para gastar somas astronómicas com os seus administradores. Aliás, antes da questão dos aumentos da electricidade, quem é que sabia que existia uma coisa chamada ERSE? Até quando o povo português, cumprindo o seu
papel de pachorrento bovino, aguentará tão pesada canga? E tão descarado gozo? Politicas à parte estou em crer que perante esta e outras, só falta mesmo manifestarmos a nossa total indignação.

Já agora façam lá o favorzinho de reenviar para a V/ lista de
amigos, pelo menos sempre se fica a saber de coisas importantes que
retiram toda a credibilidade a esta cambada de MALANDROS / MALFEITORES.





--
www.

importante..para professores...pais..alunos

Reencaminhem para atingir os 140 000 mil
professores e educadores


A DERROTA DAS MAIORIAS

O governo governa com a maioria e não com as manifestações de rua,
diz o Sr. Primeiro Ministro. É verdade, se o PS não tivesse a maioria, o
Governo nunca teria tido a coragem de insultar os professores, nem
de aprovar o novo estatuto da carreira docente, que é um insulto a
quem presta tão nobre serviço à Nação.

Já foi votada no Parlamente por três vezes a suspensão do novo
estatuto da carreira docente e das três o PS votou contra suspensão.
As maiorias só favorecem os poderosos, as classes trabalhadoras que
produzem riqueza saem sempre a perder. É fácil para quem tem
vencimentos chorudos vir à televisão pedir para que apertemos o
cinto.

Colegas, chegou o momento de ajustar contas com o PS. Se este
partido tivesse menos de 1% do votos expressos nas últimas eleições,
não teria a maioria e nunca teria tido a coragem de promover esta
enorme afronta aos professores.
Somos 150.000, o equivalente a 3% dos votos nacionais expressos. Se
nas próximas eleições, que são dentro de um ano, todos os
professores votarem em massa em todos os partidos excepto no PS,
este partido nunca mais volta a ter a maioria e será a oportunidade
soberana de devolver ao Sr. Sócrates as amêndoas amargas
que ofereceu aos professores.

Colegas, quem foi capaz de ir do Minho, Trás-os-Montes, Algarve,
Madeira e Açores a Lisboa, também consegue nas próximas legislativas
dirigir-se à sua assembleia de voto e votar a derrota do PS.
Em Portugal há partidos para todos os gostos, quer à direita quer à
esquerda do PS, é só escolher, maiorias nunca mais.
Os professores, para além de terem a capacidade de retirarem a
maioria ao PS, têm a capacidade de o derrotar, basta para isso que
os professores convençam metade dos maridos ou mulheres, metade dos
seus filhos maiores, metade dos seus pais e um vizinho a não votar
PS, e já são mais de 500.000, foram os votos que o PS teve a mais
que a oposição.

Os professores estão pela primeira vez unidos, esta união é para
continuar, e têm uma ferramenta poderosa ao seu alcance, a Internet,
que nos põe em contacto permanente uns com os outros.

Senão vejamos, esta mensagem vai ser enviada a cinco colegas. Se
cada um dos colegas enviar a mais cinco dá 25. Se estes enviarem a
mais cinco dá 125.

Se estes enviarem a mais cinco dá 625. Se estes enviarem a mais
cinco dá 3.125.
Se estes enviarem a mais cinco dá 15.625. Se estes enviarem a mais
cinco dá 78.125. se este enviarem a mais cinco dá 390.625, isto é, o
dobro dos professores que há em Portugal.

À sétima vez que esta mensagem for reenviada todos os colegas
ficarão a saber a informação que ela contém.

Começou oficialmente a campanha eleitoral dos professores contra o
PS:

VOTA À ESQUERDA OU À DIREITA ! NÃO VOTES PS!

Responder Responder a todos Encaminhar Convidar Carlos Domingos para bater papo

sábado, 6 de setembro de 2008

Fim de semana

Fim de semana...
Não se trabalha..aqueles para quem tal é possível.
Para muitos..aqueles que não têm emprego..aqueles que têm ordenados que mal dão para comer..que significa o fim de semana.???
Para uns...a vida é cada vez mais doce,,,para outros o amargar é contínuo.
Que Mundo será o dos nossos filhoe..netos? Angola, China, Venezuela..caminhos diferentes rumo ao futuro...( será?)
Estados Unidos...onde alguns querem uma mudança( por pequena que seja que diminua as barbáries do actual " bushismo") e outros nada mais pretendem que não seja aumentar os já enorme privilégios dos multi-multi milionários...
Não esqueçamos que ...haja o que houver..o Mundo não pára. A um atraso segue-.se um progresso.
Um dia..a vida será diferente..e não falo dum qualquer mundo extra-terreno..mas de nós Homens e Mulheres que saberemos construir um Mundo de Paz e Prosperidade.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Se vc é professor...ou tem familiares/amigos como tal..este é um desafio

Forwarded message ----------
From: Octávio V Gonçalves
Date: 04/09/2008 19:59
Subject: FW: 100 professores
To: Octávio V Gonçalves


Já enviei. Vamos arrasar esta política educativa e os seus protagonistas!...

Abraço,

Octávio



De: escola-publica@googlegroups.com [mailto:escola-publica@googlegroups.com] Em nome de Isabel Guerreiro
Enviada: quinta-feira, 4 de Setembro de 2008 17:08
Para: escola-publica@googlegroups.com
Assunto: Fwd: 100 professores





From: Paulo Guinote
Date: 2008/9/3
Subject: 100 professores
To:




Colegas,

Reencaminho-vos solicitação de uma jornalista do Público.
O convite é interessante, assim como a iniciativa.
Sejam criativos.

Um abraço a todos,

P.




2008/9/3 Bárbara Wong



Bom dia



Venho agora pedir-lhe ajuda para um outro desafio que considero divertido e democrático: dar voz a 100 professores.



O PÚBLICO quer publicar no dia 10, 100 declarações de 100 professores!



A pergunta é a seguinte:


Este ano, o que é que vai fazer para melhorar a escola?



Precisamos de:

- Resposta em uma frase,

- Foto (pequena, pois vão sair 100 fotos, em duas páginas),

- Nome,

- Idade,

- Professor de quê, em que ciclo.



Por isso, peço-lhe que reenvie esta mensagem aos seus amigos e colegas para que esta ideia tenha sucesso! Precisamos das respostas e fotos até dia 8. Podem ser enviadas para bwong@publico.pt



Obrigada



Bárbara Wong

PÚBLICO, Comunicação Social, SA

Rua Viriato, 13, 1069-315 Lisboa

Telf: + 351 210 111 165

Fax: + 351 210 111 006/7

Email: bwong@publico.pt

Você acha mesmo que eles não têm culpa?





Escola Pública

Newsletter, os nossos votos de boas lutas na entrada do ano lectivo e I Encontro Nacional do Movimento Escola Pública, Igualdade e Democracia.



O ano de todas as lutas


O ano lectivo que se aproxima vai pôr a escola pública a prémio e o cutelo sobre os professores, que são o seu rosto.

Assobiando para o lado aos principais problemas (quarenta mil professores no desemprego, abandono escolar, insucesso, condições deficientes de trabalho e de estudo, falta de recursos humanos especializados, programas e organização dos tempos na escola, défice de participação), o governo de Sócrates vai fazer de conta que é moderno à conta da avaliação e da gestão.
A escola sem pessoas e dos resultados a pontapé e à martelada é a avaliação moderna de Sócrates. A escola barata e refém dos poderzinhos locais é a sublime modernidade socrática.

Mas há escolas que resistiram e resistem. Há professores e professoras dentro de escolas alinhadas que resistem. Há professores e professoras que recusaram os novos poderes. Há outros que constituíram equipas fortes e que estarão nos conselhos gerais transitórios, certos de que esta é a sua aposta na resistência e na alternativa.

O Movimento Escola Pública solidariza-se com todos e todas os que resistiram e resistem e mantém as portas abertas à divulgação e à discussão de todas as formas de luta.

Sem a continuidade da resistência, do desmascarar da pantominice do modelo de avaliação, da procura de alternativas, o próximo ano lectivo pode representar uma machadada sem retorno na Escola Pública.

Quando cada professor ou professora for obrigad@ a preencher o quadradinho da percentagem de sucesso, ou o quadradinho da percentagem de alunos que não abandonaram a escola, e deixar que alguém lhe dê, pela percentagem, uma classificação, está a dizer ao governo, "mea culpa". Quando cada escola aceitar, ou fechar os olhos à pressão para o sucesso burocrático, está a dar uma boa razão ao PP e várias ao PS. Quando cada professor ou professora for obrigad@ a ser fiscalizad@ e classificad@ por colegas que, nem são mais competentes, nem tiveram direito a formação adequada e suficiente para o efeito, está a dizer aos seus alunos que a avaliação é uma fantochada.

Mas se Sócrates, sem gastar nada, e poupando muito, conseguir que cada professor(a) assuma individualmente que o insucesso e o abandono são problemas seus, e que apenas por si mesmo (a) os pode resolver, bem pode o Primeiro agarrar a Ministra, e pô-la a papaguear: é tudo culpa dos professores, faltosos e incompetentes.

2008-2009 vai ser o ano de todas as lutas, mas esta é a linha de fronteira entre a dignidade da Escola Pública e d@s professor@s e a total falta dela. Entre a confiança que todos(as) podemos e precisamos ter na Escola Pública e a falta de garantias dos poderes públicos na qualidade da educação a que toda a gente tem direito, pela Constituição que ainda vigora.

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________





O Movimento Escola Pública convida todos os seus membros, simpatizantes e demais pessoas interessadas a participar no seu primeiro encontro nacion

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Regresso às aulas


Olá colegas,

Desejo a todos um bom regresso ao trabalho e à luta!...



A propósito da situação dramática vivida por milhares de docentes contratados (à volta de 40 mil – os quais, juntamente com as suas famílias, mereciam maior respeito por parte de quem não consegue disfarçar a sua insensibilidade e arrogância*) o primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou esta terça-feira que “o tempo da facilidade acabou” (CM, 02-09-2008) e suspeita-se que o Sr. Engenheiro, embora estando a referir-se à não obtenção de colocação por parte dos nossos colegas contratados, estava a pensar em outra realidade…

Como o compreendemos… de facto já não é possível aproveitar as facilidades de outros tempos!... Fechou a Universidade Independente… E o tempo da facilidade esfumou-se!...



Octávio V Gonçalves



* Que mal fica tanta soberba, a quem fora da política não se lhe reconhece nenhum contributo de monta para a economia, a educação, o urbanismo ou o país, e a quem, sendo primeiro-ministro e só para citar os casos mais recentes, desconhecia a lei do tabaco, ignorava o montante da isenção fiscal aplicada aos carros eléctricos, esqueceu-se de dizer que o Magalhães é apenas a montagem portuguesa do “Classmate PC” da Intel e que, com esse anúncio, sem concurso, põe em causa as regras do mercado entre empresas concorrentes, e anuncia 1200 empregos que não é líquido que venham a existir, aliando-se a uma empresa de trabalho precário, baixos salários e sob investigação (Tudo isto para o Expresso e para o Sr. Ricardo Costa da SIC não são as “trapalhadas” que eram tão lestos a apontar a outros, deve ser uma qualquer inteligência estratégica!...). Respeito e humildade precisam-se!..

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

TVS

TÃO FÁCIL
• Da RTP1 à TVI passando pela SIC..os três canais generalistas principais passam a vida a gozar connosco. Alteram programas..não cumprem horários..chegam a atrasar a programação por mais de uma hora.
Se mudamos de canal…eles fazem todos os intervalos para anúncios à mesma hora…
Mas ..nós não podemos dar uma volta à situação? Claro que sim…
Com excepção dos noticiários( e mesmo nesses geralmente as noticias saem sempre depois de terem vindo nos jornais) que necessidade temos de ver um programa no dia em que é emitido? Programas de duas horas têm normalmente cerca de meia hora de anúncios.
• Com gravadores de DVD e de vídeo cada vez mais sofisticados e económicos..é tão simples gravar um programa e vê-lo no dia seguinte..ou quando nos apetecer.
Que diferença faz ver aquelas infindáveis telenovelas, ou um filme no dia seguinte. ?Poupamos a “seca” dos anúncios (chegam a repetir o mesmo várias vezes em poucos minutos)..vemos tudo de seguida ..não precisamos de nos enervar a fazer “zapping”..etc.
• Sugerimos ao leitor que experimente..( eu já não faço outra coisa ) veja tudo nas calminhas…e vai ver que até o seu stress melhora…

E... além disso há outros canais.

Autarquias

A CDU usa no seu slogan eleitoral o lema " Honestidade e competência". Não temos dúvida que o slogan corresponderá à realidade em muitos casos de autarquias geridas por esta e outras forças políticas.
Mas..agora o Seixal perdeu um apoio de seis milhões de contos( seis milhões..não é brincadeira) por se ter atrasado a apresentar uma candidatura aos fundos comunitários.
E antes... fora a Câmara do Barreiro que fizera erro similar..desta vez três milhões e meios de euros.
Onde está a competência?
E nãohá ninguém que chame alguém às suas responsbilidades?...