Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 31 de julho de 2009

PERGUNTA INOCENTE

tenho umas perguntas a sugerir à nossa prestimosa comunicação
social, que anda sempre com falta de assuntos e é muito distraída,
sobretudo nesta altura em que o Sr PR resolveu ter assomos de ética
pública :

1ª - A quem é que Cavaco e a filha compraram, em 2001, 254 mil acções
da SLN, grupo detentor do BPN?

O PR disse há tempos, em comunicado, que nunca tinha comprado nada ao
BPN, mas «esqueceu-se» de mencionar a SLN, ou seja, o grupo que
detinha o Banco.

Como as acções da SLN não eram transaccionadas na bolsa, a quem é que
Cavaco as comprou?

À própria SLN?

A algum accionista?

Qual accionista? (Sobre este ponto, ver adiante.)

2 ª- Outra pergunta que não me sai da cachimónia:

Como é que foi fixado o preço de 1 euro por acção?

Atiraram moeda ao ar?

Consultaram a bruxa?

Recorreram a alguma firma especializada?

Curiosamente, a transacção foi feita quando o BPN já cheirava a
esturro, quando o Banco de Portugal já «andava em cima do BPN», ao
ponto de Dias Loureiro (amigo dilecto de Cavaco e presidente do
Congresso do PSD), ter ido, aliás desaconselhado por Oliveira e Costa,
reclamar junto de António Marta, como este próprio afirmou e Oliveira
e Costa confirmou.

3ª - Outra pergunta: Cavaco pagou?

E se pagou, fê-lo por transferência bancária, por cheque ou em cash? É
importante saber se há rasto disso.

Passaram dois anos.

Em carta de 2003 à SLN, Cavaco alegadamente «ordenou» a venda das suas
acções, no que foi imitado pela filha. Da venda resultaram 72 mil
contos de mais valias para ambos. Presumo que essas mais valias foram
atempadamente declaradas ao fisco e que os respectivos impostos foram
pagos. Tomo isso como certo, nem seria de esperar outra coisa.

Uma coisa me faz aqui comichão nas meninges. Cavaco não podia
«ordenar» a venda das acções (como disse atrás, não transaccionáveis
na bolsa), mas apenas dizer que lhe apetecia vendê-las, se calhasse
aparecer algum comprador para elas. A liquidez dessas «poupanças» de
Cavaco era, com efeito, praticamente nula. Mas não é que o comprador
apareceu prontamente, milagrosamente, disposto a pagar 1 euro e 40
cêntimos de mais valia por cada acção detida pela família Cavaco,
quando as acções nem cotação tinham no mercado.

E quem foi o benemérito comprador, quem foi?

Com muito gosto esclareço, foi uma empresa chamada SLN Valor, o maior
accionista da SLN.

Cito o Expresso online:

«Cavaco Silva e a filha deram ordem de venda das suas acções, em
cartas separadas endereçadas ao então presidente da administração da
SLN, José Oliveira Costa. Este determinou que as 255.018 acções
detidas por ambos fossem vendidas à SLN Valor, a maior accionista da
SLN, na qual participam os maiores accionistas individuais desta
empresa, entre os quais o próprio Oliveira Costa.»

Ou seja, Oliveira e Costa praticamente ofereceu de mão beijada 72 mil
contos de mais-valias à família Cavaco. E se foi Oliveira e Costa
também a fixar o preço inicial de compra por Cavaco, então a coisa é
perfeitamente clara.

Que terá acontecido entre 2001 e 2003 para as acções de uma empresa
que andava a ser importunada pelo Banco de Portugal terem «valorizado»
40 %?

Falta, neste ponto, esclarecer várias coisas, a primeira das quais já
vem de trás:

1. a quem comprou Cavaco e a filha as acções?

2. terá sido à própria SLN Valor, que depois as recomprou?

3. porque decidiu Cavaco vendê-las? Não tendo elas cotação no mercado,
Cavaco não podia a priori esperar realizar mais-valias.

4. terá tido algum palpite, vindo do interior do universo SLN, só
amigos e correligionários, para que vendesse, antes que a coisa fosse
por água abaixo?

5. terá sido cheiro a esturro no nariz de Cavaco? Isso é que era bom saber!

6. porque quis a SLN Valor (re)comprar aquelas acções? Tinha poucas?

7. como fixou a SLN valor o preço de compra, com uma taxa de lucro
bruto para o vendedor de 40% em dois anos, a lembrar as taxas
praticadas pela banqueira do povo D. Branca?

Por hoje não tenho mais sugestões de perguntas à comunicação social.

INGENUIDADES

OComo ando sem tempo, deu-me para as ingenuidades.

Por isso vou acreditar que a justiça funcionou bem em Felgueiras e que o Ministério Público fez bem a sua investigação. Não vou acreditar nos que dizem que 200 euros por bebé, os quais só podem ser levantados quando este fizer 18 anos, é um empréstimo de longa duração que o estado faz à banca com o dinheiro dos contribuintes e vou acreditar que os impostos não subirão. Vou tomar como minha a tese do PS sobre a conspiração que Tribunal Constitucional está a fazer com o PSD e com Cavaco para mandar a baixo o Estatuto dos Açores e vou defender Sócrates das cabalas a que este está sujeito - nem que para isso me tenha que fazer assessor de alguma coisa disfarçado de blogger.PIADO DO BLOGUE FLISCORNO COM A DEVIDA LICENÇA)

TÃO DIFERENTES..TÃO IGUAIS

o ENGºsÓCRATES NO SEU AFÃ ELEITORAL A TENTAR VOTOS Á ESQUERDA DISSE QUE ERA PRECISO TAXAR MAIS OS RICOS...( aH..AH...
a dOUTORA MANUELA MOSTROU-SE INDIGNADA..COITADOS DOS RICOS ATEREM DE PAGAR A CRISE...
CLARO QUE OS RICOS CONTINUARÃO A SUBSIDIARA CAMPANHA DE SÓCRATES E MANUELA..QUANTO A SÓCRATES ELES SABEM QUE É SÓ FUMAÇa ( COMO DRIA O PINHEIRO DE AZEVEDO) QUANTO A MANUELA..ESSA NEM ESCONDE...
A-PROPÓSITO EIS DADOS DO DIÁRIO DE NOTICIAS DE ONTEM SOBREAS GRANDES FORTUNAS PORTUGUESAS:
1- AMÉRICO AMORIM ... 2005,7 MILHÕES DE EUROS
2-BELMIRO DE AZEVEDO....1400 " " "
3-jOSÉ DE MELLO ...1245,4 " " "
4- CARMEN ESPIRITO SANTO 731,8 " " "
5-lUÍS SILVA 695,6 " " "
6-ALEXANDRE s.SANTOS 665,1 " " "
7-jOÃO PEREIRA COUTINHO 645,8 " " "
8-SALVADOR CAETANO 637,4 " " "
9-JOE BERARDO 618,2 " " "
10-MANUEL SOARES VIOLAS 610,4 " " "

NO MESMO JORNAL REFERE-SE QUE O CONJUNTO DOS BANCOS PRIVADOS GANHOU QUATRO MILHÕES DE EUROS/DIA

ENTRETANTO O ORDENADO MINIMO...PARA AQUELES QUEAINDA T~EM A SORTE DE TER TRABALHO..CONTINUA LONGE DOS 500 EUROS/ MÊS

claro que P.S.D e P.S. têm osdois razão.
Se os pobres podem pagar a crise haviam de seros ricos a pagá-la?

ERA O QUE FALTAVA...
E.. COMO ESTAMOS CONTENTES..VOTEMOS NELES.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

O MILAGRE DAS ROSAS

nUM JORNAL ECONÓMICO DE HOJE LE-SE QUE O P.S. FEZ SAIR O SEU PROGRAMA E QUE PROMETE BAIXAR O I.R.S. ...
BOM...SERIA MAIS UMA PROMESSA COMO TODAS AS QUE ELE NUNCA CUMPRIU...MAS DEPOIS ...NAS LETRINHAS PEQUENAS...CONSTATA-SE QUE ISSO SERÁ FEITO SEM DIMINUIÇÃO DAS RECEITAS FISCAIS.
COMO JÁ SE SABE QUE ELE IR BUSCAR RECEITAS A QUEM TEM ENRIQUECIDO Á SUA SOMPRA... DESDE OS GRANDES BANQUEIROS ÁS GRANDES CONSTRUTORAS...ESTÁ FORA DE HIPÓTESE...ISSO É O VERDADEIRO

MILAGRE DAS ROSAS

QUANDO INVOCARMOS MILAGRES NÃO PENSEMOS EM SANTA ISABEL...PENSEMOS EM P.S.

e... JÁ AGORA UM p.s. DE "POST-SCRIPTUM2.... NÃO ACREDITEM EM VIGARISTAS.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Setembro de todos os perigos

O Governo mostra-se muito preocupado com as possíveis( prováveis..certas) manifestações que os professores farão em Setembro contra esse malfadado estatuto da carreira docente.
Mas..cuidado..se já sabemos que B.E. e P.C.P. são claramente pela revogação de tão iníqua lei ...é preciso que P.S.D. e P.P. definam claramente qual a sua posição.
Os professores portugueses precisam de certezas preto no branco...não é só engodarem com promessas e depois fazerem como a Milú.
Sindicatos e Movimentos unidos poderão derrotar de vez as políticas que têm vindo a deteriorar o ensino em Portugal.

domingo, 26 de julho de 2009




PARA QUEM TEM DÚVIDAS:
A ministra da "educação" Maria de Lurdes Rodrigues, deu hoje uma entrevista ao "Diário de Noticias" onde disse textualmente" Partilho com Sócrates a visão sobre a educação"
Nunca ela disse uma verdade tão grande.
Como a educação se transformou naquilo que sabemos...vamos correr com eles no próximo dia 27 de Setembro.

sábado, 25 de julho de 2009

ELE






ELE..ELE agora diz que faz uma politica de esquerda..que defende o serviço pÚblico e promete tudo e mais alguma coisa... apoio aos jovens...empregos... enfim..tudo aquilo que já prometeu há 4 anos e não cumpriu.
ELE QUER os votos da esquerda ..do PCP e do BE.
Mas olha...os votantes não são parvos e vão-lhe (sem imitar o Manuel Pinho)fazer o que faz aquele boneco.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

ADÃO E EVA

NACIONALIDADE DE ADÃO E EVA

Sabes Qual a Nacionalidade de Adão e Eva?
Um alemão, um francês, um inglês e um brasileiro apreciam um quadro de Adão e EVA no Paraíso.
O alemão comenta:
Olhem que perfeição de corpos: ela, esbelta e espigada; ele, com este corpo atlético, os músculos perfilados..
Devem ser alemães.
Imediatamente, o francês contesta:
- Não acredito. É evidente o erotismo que se desprende de ambas as figuras.. Ela, tão feminina... Ele, tão masculino... Sabem que em breve chegará a tentação... Devem ser franceses.
Movendo negativamente a cabeça, o inglês comenta:
- Que nada! Notem a serenidade dos seus rostos, a delicadeza da pose, a sobriedade do gesto. Só podem ser ingleses.
Depois de alguns segundos mais, de contemplação silenciosa, o brasileiro declara:
- Não concordo. Olhem bem: não têm roupa, não têm sapatos, não têm casa, tão na merda... Só têm uma única maçã para comer. Mas não protestam, ainda estão pensando em sacanagem e pior, acreditam que estão no Paraíso.
Só podem ser portugueses

O NEGÓCIO DO MEDO

O negócio do medo

Sabes que o vírus da gripe das aves foi descoberto há 9 anos no Vietnam?
Sabes que desde então morreram apenas 100 pessoas EM TODO O MUNDO durante estes 9 anos?
Sabes que os americanos foram quem informou da eficácia do TAMIFLU
(antiviral humano) como preventivo?
Sabes que o TAMIFLU apenas alivia alguns sintomas da gripe comum?
Sabes que a sua eficácia no tratamento da gripe comum está sendo
questionada por grande parte da comunidade científica?
Sabes que perante um SUPOSTO vírus mutante como o H5N1 o TAMIFLU apenas aliviará alguns sintomas?
Sabes que a gripe das aves até ao momento apenas afecta as aves?
Sabes quem comercializa o TAMIFLU? Laboratórios ROCHE. Sabes a quem a ROCHE comprou a patente do TAMIFLU em 1996? À GILEAD SCIENCES INC.
Sabes quem era o presidente da GILEAD SCIENCES INC. E seu principal accionista? DONALD RUMSFELD, EX. Secretário da Defesa norte americana. Sabes que a principal base do TAMIFLU é o anis estrelado?
Sabes quem é que detém 90% da produção desta árvore? ROCHE. Sabes que as vendas do TAMIFLU passaram de 254 milhões em 2004 para mais de 1.000 milhões em 2005?
Sabes quantos milhões mais pode ganhar a ROCHE nos próximos meses se continuar este negócio do medo?

Ou seja, o resumo do negócio é o seguinte: os amigos do sr. Bush
decidem que um fármaco como o TAMIFLU é a solução para uma pandemia que ainda não ocorreu e que causou 100 mortos no mundo inteiro desde há 9 anos. Este fármaco não cura nem sequer a gripe comum. O vírus não afecta o ser humano em condições normais. Rumsfeld vende a patente do TAMIFLU à ROCHE e esta paga-lhe uma verdadeira fortuna. A ROCHE adquire 90% da produção do anis estrelado que é a base do antiviral. Os governos de todo o mundo ameaçam com uma pandemia e compram à ROCHE
quantidades industriais desse produto. Nós acabamos por pagar o
medicamento e Rumsfeld, Cheney e Bush fazem um belo negócio...

ESTAMOS LOUCOS, OU SOMOS TODOS IDIOTAS?

Ao menos passa este documento para que mais gente saiba

quinta-feira, 23 de julho de 2009

CONHECEM JORGE COELHO ?

Em apenas uma semana, o valor dos rendimentos líquidos dos accionistas da Liscont com o negócio dos contentores passou de 4,2 milhões de euros para 7,4 milhões de euros, refere o relatório do Tribunal de Contas. No parlamento o PS optou pelo silêncio, depois da intervenção da deputada do Bloco Helena Pinto, que classificou o negócio do Estado com a empresa do grupo Mota-Engil de "escândalo nacional".

nb-pARA QUEM NÃO SABE... Jorge Coelho é o ex-número 2 do P.S.
O Governo assinou com a Liscont um prolongamento por 27 anos...da concessão dum terminal de contentores...
Não houve qualquer concursio público..porque o Governo invopcou urgência"...
O contrato ainda em vigor só acabava em 2015. Onsde está a urgência...
Segundo o Tribunal de Contas..o negócio "não foi nem bom exemplo para o sector público nem em termos de boa gestão financeira, nem de adequada protecção para os interesses públicos financeiros"

OBSERVAÇÃO.... Esta é minha.." não foi boa para os contribuintes mas foi boa para a Mota- Engil...Não chega?

quarta-feira, 22 de julho de 2009

VIGARISTAS

DECO ACONSELHA A NÃO UTILIZAREM A REDE DO BPN
Taxa Multibanco BPN (já começou a cobrar)
Levantamento em multibanco

Quando forem levantar dinheiro ao multibanco NÃO LEVANTEM SE O MULTIBANCO FOR DO BPN!!!!
Eles cobram uma comissão por cada levantamento, isto porque não têm protocolo com a SIBS, é considerado cash-advance, tal como quando se levanta dinheiro a crédito.
Toca a divulgar, o BPN tem quase 100 terminais Multibanco.
Atenção num levantamento de 100€ - a cobrança pode ir até aos 5,83€
É dinheiro!

MINIST.EDUCAÇÃO- ACÇÃO DE FORMAÇÃO´

ACÇÃO DE FORMAÇÃO







FORMADORES





· MILÚ RODRIGUICES, doutorada em Ciências do Insucesso, pela
Universidade Clandestina do Monte da Virgem.

· VALTER GEMES, doutorado em Banalidades e Idiotices, pela
Universidade do Queijo da Serra.

· JORGE CALHAU, doutorado em Incompetências, pela Universidade
Piscatória de Braga.









OBJECTIVOS DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO





1. Permitir que os professores desenvolvam as suas capacidades de
técnicos de animação escolar;

2. Incentivar os professores a resistirem até próximo de metade da
idade da reforma;

3. Dinamizar o espírito burocrático na carreira docente;

4. Desenvolver as capacidades físicas, gestuais, linguísticas e
criativas dos docentes.





MÓDULO I - PRÉ-FORMAÇÃO





1. Entender que ensinar é uma violação dos direitos de quem não quer
aprender (350 horas)

2. 'Quanto mais entreter mais futuro vai ter (250 horas)









MÓDULO II - RELAÇÃO COM A UNIVERSIDADE





1. Superar o Síndrome da Paciência (150 horas)

2. Como se desviar de um OVI (objecto voador identificado) -
Visualização de casos práticos no Youtube (200 horas)

3. Como sobreviver a um ano escolar sem dar uma falta (500 horas)

4. Adquirir capacidade de ignorar quando o aluno lhe rebenta os
dentes (200 horas)

5. Como esvaziar uma caixa de antidepressivos e ansiolíticos em dois
intervalos (150 horas)

6. Como tentar confiscar um telemóvel sem se magoar - Visualização de
casos práticos em vídeo (800 horas)

7. Como utilizar as novas tecnologias num contexto de jogos e
mensagens (125 horas)











MÓDULO III - ACTIVIDADE PRÁTICA





1. Arrotar, dizer palavrões e cuspir, em intervalos consecutivos de 2
segundos (200 horas)

2. Aguentar duas chapadas, três pontapés e uma cabeçada, sempre com
sorriso rasgado (350 horas)

3. Correr 100 metros, com o livro de ponto debaixo do braço, no
máximo de 25 segundos

(100 horas)

4. Abanar 500 vezes a cabeça, afirmativamente, durante 5 minutos. (185 horas)

5. Utilizar 5 resmas de papel, para grelhas de auto-avaliação de 20
alunos, no período de 5 dias ( 240 horas)













MÓDULO IV - RELAÇÃO COM O (A) AVALIADOR(A)





1. Nível 1 (principiante): Pagar o almoço do(a) avaliador(a) na
cantina e oferecer-lhe um bilhete para o espectáculo do Tony Carreira
(150 horas).



2. Nível 2 (avançado): Reunir durante 3 horas, não tratar de nada e
fazer uma acta de 17 folhas (225 horas).













PATROCINADORES:



Ø Academia de defesa pessoal 'PIRA-TE E FOGE, L.DA'

Ø Edições Rebeldia

Ø Associação de Pais 'COSPE FOGO'

Ø

INSCREVE-TE JÁ



· Se enviares a tua inscrição no espaço de 3 dias terás direito a
faltar a 1/2 aula de substituição.





· Se juntares à tua inscrição a de um colega distraído, receberás
uma dentadura postiça e umas canadianas em 2.ª mão.





Sindicato dos Técnicos de Animação Escolar















________________________________

Novos Privacidade - Página inicial do Google

AINDA...O JARDIM

Jardim quer proibir o comunismo

Creio que vale a pena recordar um artigo de Baptista-Bastos:

Texto de Baptista Bastos no «Jornal de Negócios»:

«Alberto João Jardim não é inimputável, não é um jumento que zurra desabrido, não é um matóide inculpável, um oligofrénico, uma asneira em forma de humanóide, um erro hilariante da natureza. Alberto João Jardim é um infame sem remissão, e o poder absoluto de que dispõe faz com que proceda como um canalha, a merecer adequado correctivo.
Em tempos, já assim alguém o fez. Recordemos.

Nos finais da década de 70, invectivando contra o Conselho da Revolução, Jardim proclamou: «Os militares já não são o que eram. Os militares efeminaram-se».

O comandante do Regimento de Infantaria da Madeira, coronel Lacerda, envergou a farda número um, e pediu audiência ao presidente da Região Autónoma da Madeira. Logo-assim, Lacerda aproximou-se dele e pespegou-lhe um par de estalos na cara.
Lamuriou-se, o homenzinho, ao Conselho da Revolução. Vasco Lourenço mandou arrecadar a queixa com um seco: «Arquive-se na casa de banho».

A objurgatória contra chineses e indianos corresponde aos parâmetros ideológicos dos fascistas. E um fascista acondiciona o estofo de um canalha.
Não há que sair das definições. Perante os factos, as tímidas rebatidas ao que ele disse pertencem aos domínios das amenidades. Jardim tem insultado Presidentes da República, primeiros-ministros, representantes da República na ilha, ministros e outros altos dignitários da nação. Ninguém lhe aplica o Código Penal e os processos decorrentes de, amiúde, ele tripudiar sobre a Constituição. Os barões do PSD babam-se, os do PS balbuciam frivolidades, os do CDS estremecem, o PCP não utiliza os meios legais, disponentes em assuntos deste jaez e estilo. Desculpam-no com a frioleira de que não está sóbrio. Nunca está sóbrio?
O espantoso de isto tudo é que muitos daqueles pelo Jardim periodicamente insultados, injuriados e caluniados apertam-lhe a mão, por exemplo, nas reuniões do Conselho de Estado. Temem-no, esta é a verdade. De contrário, o que ele tem dito, feito e cometido não ficaria sem a punição que a natureza sórdida dos factos exige. Velada ou declaradamente, costuma ameaçar com a secessão da ilha. Vicente Jorge Silva já o escreveu: que se faça um referendo, ver-se-á quem perde.
A vergonha que nos atinge não o envolve porque o homenzinho é o que é: um despudorado, um sem-vergonha da pior espécie. A cobardia do silêncio cúmplice atingiu níveis inimagináveis. Não pertenço a esse grupo».



por LÍLIA BERNARDES, Hoje



--

segunda-feira, 20 de julho de 2009

MAIS UM EX MINISTRO DE CAVACO ARGUIDO

ORA P.S.D.. ORA P.S.
É FARTAR ..VILANAGEM

Arlindo de Carvalho, ex-ministro da Saúde de Cavaco Silva, foi constituído arguido no caso BPN, juntamente com dois empresários do ramo imobiliário, José Neto e Ricardo Oliveira. O caso BPN tem já cinco arguidos: Oliveira e Costa, Dias Loureiro e os três novos arguidos, que serão suspeitos de crimes de abuso de confiança e fraude fiscal.
Leia

VENEZUELA-FACTOS

Um retrato honesto da Venezuela
(Resenha do livro "A Revolução Venezuelana", de Gilberto Maringoni)
Por: Igor Fuser

Na lista dos demónios da mídia empresarial, o posto número 1 pertence, disparado, a Hugo Chávez, com sua boina vermelha e língua ferina. Raramente se passa um dia sem que alguma publicação da chamada "grande imprensa" despeje regulares doses de veneno contra o presidente venezuelano, apresentado como louco, fanfarrão, ditador ou incompetente. Essa cantilena se mantém há mais dez anos. Para ser exato, desde o início de 1999, quando o antigo coronel iniciou, após sua chegada ao governo, a transformação de um dos países de estrutura social mais iníqua no planeta - mais de 50% dos habitantes na miséria, em contraste com os lucros nababescos das exportações de petróleo - em uma referência mundial para todos os que cultivam os valores da justiça e da igualdade.
O livro de Gilberto Maringoni (A Revolução Venezuelana, Editora Unesp, 2009) merece ser saudado com um antídoto perfeito contra a manipulação informativa que, na imprensa brasileira, atingiu as raias de uma lavagem cerebral. Jornalista e historiador, Maringoni fala de um tema que conhece em primeira mão. Viajou várias vezes à Venezuela e lá entrevistou quase todos os nomes que valiam a pena no tumultuado enredo político local - dos caciques da oposição conservadora, como Teodoro Petkoff, às figuras mais graduadas do regime esquerdista, entre as quais o próprio Chávez, além das mais variadas fontes na esfera acadêmica.
Com dados confiáveis em mãos, o autor desvenda o enigma oculto sob a campanha midiática anti-chavista: como é possível que um caudilho supostamente tão desastrado mantenha altíssimos índices de apoio popular durante tanto tempo? É errado reduzir, como insistem os detratores da experiência venezuelana, o prestígio de Chávez à bonança petroleira da última década. O Venezuela já viveu outros períodos de alta dos preços do petróleo, sem que a população tivesse tido acesso a mais do que umas magras migalhas do banquete. A marca da gestão chavista é algo que as primeiras gestões municipais petistas defendiam no Brasil e que, lamentavelmente, diluiu-se no lodaçal dos compromissos com as classes dominantes: a inversão das prioridades em favor das multidões oprimidas, ainda que ao preço do confronto aberto contra as elites privilegiadas.
Na Venezuela, os gastos sociais aumentaram de 8,2% do PIB, em 1998, para 13,6% em 2006. Os índices de pobreza caíram de 55,1% para 27,5%. O salário mínimo se elevou numa escala sem precedentes em qualquer outro país do chamado Terceiro Mundo e milhões de venezuelanos passaram a ter acesso a uma infinidade de benesses antes inalcançáveis - desde serviços essenciais, como assistência médica e dentária, aos ícones do consumo descartável, como telefones celulares. Nesse cenário em que a mudança passa do plano da retórica para a existência cotidiana, torna-se fácil entender porque Chávez foi vitorioso em todas as freqüentes consultas eleitorais que promoveu, com apenas uma exceção.
O grande mérito de Maringoni é que ele não se limita a salientar as conquistas do processo político venezuelano, mas também aponta, sem medo de entrar em polêmica com os defensores mais entusiastas do chavismo, os limites do festejado "socialismo do século XXI". Concretamente: após dez anos de "revolução bolivariana", o velho modelo de desenvolvimento dependente latino-americano, erigido com base na exportação de produtos primários (no caso, o petróleo), permanece inalterado. Os ganhos desse modelo, é verdade, passaram a beneficiar, pela primeira vez, a maioria da população, sobretudo depois que Chávez retirou a estatal Petróleos de Venezuela S.A. (PDVSA) das mãos da camarilha que a controlava, enquadrando a empresa sob o controle público. Mas o caminho ainda está no seu início: "O Estado continua ineficiente, lerdo, corrupto e avesso às interferências populares", escreve o autor.
Mesmo que seja prematuro falar em uma verdadeira revolução na Venezuela, é inegável que o governo de Chávez mudou a face política daquela sociedade e, em certa medida, de toda a América do Sul. A influência venezuelana se faz presente em todo um conjunto de países onde, pela primeira vez, o poder de Estado passa a ser exercido em benefício das maiorias. Como afirma Maringoni, referindo-se à época de ofensiva conservadora mundial pós-1989: "A Venezuela é, com todos os problemas, o país onde mais se avançou, nesse período, na contestação ao neoliberalismo e no questionamento do poder global dos Estados Unidos." Aí reside a explicação para o ódio que Chávez desperta entre os donos da mídia brasileira e internacional. Ele é, de fato, um sapo difícil de engolir.
(*) Igor Fuser é jornalista, professor na Faculdade Cásper Líbero, mestre em Relações Internacionais, doutorando em Ciência Política na Universidade de São Paulo e membro do Conselho Editorial do Brasil de Fato.

domingo, 19 de julho de 2009

AFGANISTÃO

Numa compra considerada urgente ,Portugal vai gastar 13.745 MILHÕES DE EUROS, em viaturas blindadas Hummveee ( bnito nome) para equipar forças militares destinadas ao Afganistão.
Comentários...para quê?

sábado, 18 de julho de 2009

PERGUNTAS INGÉNUAS

O que têm de comum Dias Loureiro, Lopes da Mota, Valentim Loureiro, José Sócrates, Isaltino Morais, Carlos Encarnação, Fátima Felgueiras, etd..etc... e outros.?Expliquem-me por favor.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

VALE A PENA VER

FESTAS EM VISEU

SINAIS DOS TEMPOS

SINAIS DOS TEMPOS
• Em tempos… outros tempos… Herman José foi justamente considerado o maior humorista português.
O seu Serafim Saudade ( que saudades..poupe-se o pleonasmo) .. o Diáconos Remédios com a sua critica satírica faziam rir muita gente e incomodavam muita outra.
Lembramo-nos de num programa em que foi entrevistado ,Pinto Balsemão, o patrão da SIC ter dito a Herman…”quanto quer … dou-lhe um cheque em branco.”
E Herman acabou por ir para a SIc.
Mas Herman começara já a sua decadência. E que tristeza dá vê-lo hoje a arrastar-se pelo “Nasci p!ra cantar” , na TVI, onde se limita a fazer o que qualquer apresentador barato faria… apresentar um programa onde com gáudio da assistência uns meninos ou meninas tentam imitar Michael Jackson, Tony Carreira ou Amy Winehouse.
Herman talvez ganhe bom dinheiro… talvez seja isso que ele afinal apenas quer…Herman perdeu no entanto a consideração daqueles que o admiravam nas suas qualidades de humorista;
• Parece que não terá nada a ver com o assunto anterior. Mas tem.
O “doutor” Alberto João Jardim.. permitiu-se dizer que a Constituição Portuguesas devia proibir o comunismo.
Depois disse que não queria proibir o P.C.P. mas apenas o comunismo.
A verdade é que Alberto João não é estúpido. Alberto João foi um quadro da “ fascista” União Nacional… tempo em que não havia qualquer espécie de liberdade no país.
Alberto João gostaria de voltar a esse tempo em que se eu escrevesse isto iria parar às masmorras da PIDE.
Alberto João tem saudade ..não dos bons tempos do “ Diácono Remédios” da SIC , mas dos” bons tempos do antes do 25 de Abril”( para ele).
• Esperemos que os bons tempos do Herman ( com ele ou outro humorista que saiba fazer critica) possam voltar… que os “bons tempos” do Alberto João fiquem para sempre no recôndito da sua memória.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

CAVACO E MÁRIO CRESPO

Após publicação do artigo do Mário Crespo no JN de 8 membro iniciava o
> guloso caminho financeiro para as Presidenciais, nas quais talvez
> fosse preciso algum dinheiro para alavancar o início da aventura...
> mas nós talvez pudéssemos fazer de conta que não é preciso dinheiro
> para ser candidato a Presidente da República, talvez pudéssemos fazer
> de conta que o mandatário financeiro dessa operação não foi Manuel
> Dias Loureiro, até poderíamos talvez supor que a familia Silva,
> verdadeiramente, nunca comprou acções de coisa nenhuma, tendo talvez
> apenas feito de conta que assinaram uns papéis a dizer que sim que não
> se importariam de comprar acções e uns meses depois a dizer
>
>
>
> Continuemos a fazer de conta, por Mário Crespo
>
> Façamos de conta que e o que passou no BPN e na SLN não é mesmo uma
> enorme "roubalheira". Façamos de conta que há outro termo para
> descrever correctamente o saque de dois mil milhões de dinheiro dos
> portugueses.
> Façamos de conta que a mais-valia de 147 por cento do investimento de
> Aníbal Cavaco Silva e família não aparece nos dois mil milhões de
> prejuízos do BPN nacionalizado. Façamos de conta que não é o
> contribuinte português quem está a pagar esses dois mil milhões.
> Façamos de conta que é normal conseguir valorizar um investimento
> 147,5 por cento em menos de dois anos. Tudo isto fora do controlo das
> entidades fiscalizadoras e reguladoras do mercado de capitais. Façamos
> de conta que um conglomerado de bancos e offshores que compra coisas
> por dezenas de milhão, que vende depois por um dólar, e que rende mais
> do que a Dona Branca, é normal. Façamos de conta que um negócio gerido
> assim faz algum sentido no mercado. Façamos de conta que é acessível
> ao cidadão comum um negócio destes. Façamos de conta que sabemos todas
> as circunstâncias da compra e da recompra das acções de tão prodigiosa
> mais valia, que a família Silva detinha no projecto de Dias Loureiro e
> Oliveira e Costa. Façamos de conta que a SLN não tem nada a ver com o
> BPN. Façamos de conta que o BPN e a SLN não têm um número invulgar de
> gente do PSD envolvido nas suas actividades. Façamos de conta que
> Aníbal Cavaco Silva não é a personalidade de mais influência no PSD.
> Façamos de conta que os termos SLN, Sociedade Lusa de Negócios ou SLN
> Valor aparecem no comunicado da Presidência da República de 23 de
> Novembro de 2008. Façamos de conta que, nesta fase de dúvidas, é
> aceitável uma declaração como a emitida pelo Palácio de Belém sem
> referências ao valioso investimento familiar no mais controverso dos
> projectos financeiros da história de Portugal. Quando é só esse
> investimento que está causa. Por ser uma aplicação num projecto de
> licitude duvidosa. Façamos de conta que o Chefe Executivo desse
> projecto não tinha sido um íntimo colaborador de Aníbal Cavaco Silva
> responsável por finanças públicas. Façamos de conta que entre 2001 e
> 2003 os negócios do BPN e da SLN decorriam de forma irrepreensível e
> no cumprimento integral da lei da República. Façamos de conta que não
> foi por escolha pessoal do Presidente da República que Dias Loureiro
> foi nomeado Conselheiro de Estado. Façamos de conta que, como o
> Presidente disse, estar Dias Loureiro no Conselho de Estado era a
> mesma coisa que estar António Ramalho Eanes ou Mário Soares ou Jorge
> Sampaio. Façamos de conta que o Presidente relatou tudo o que devia
> ter relatado ao País sobre os seus activos passados nos projectos de
> Oliveira e Costa e Dias Loureiro. Façamos de conta que não há gente
> presa por causa do BPN. Façamos de conta que não vai haver mais gente
> presa. Façamos de conta que o que se passou no BPN e na SLN não é
> mesmo uma enorme "roubalheira". Façamos de conta que há outro termo
> para descrever correctamente um saque de dois mil milhões de dinheiro
> dos portugueses. Façamos de conta que não conseguimos imaginar quantas
> escolas, quantos hospitais, quantas contas de farmácia, quantas
> pensões mínimas, quantas refeições decentes se podem comprar com esse
> dinheiro. Façamos de conta que basta, apenas, cumprir rigorosamente a
> Lei e ignorar o que a Lei não diz, para se ser inquestionavelmente
> impoluto. Façamos de conta que não sabemos o que se está a passar à
> nossa volta. Até onde aguenta o País continuarmos a fazer de conta que
> não vemos?
>
>
>
>

quarta-feira, 15 de julho de 2009

ASSALTOS

O assaltante do BES apanhou 11 anos de prisão.
Justo,
~E os assaltantes do BPN e BPP irão para ministros do próximo governo?

terça-feira, 14 de julho de 2009

SÓCRATES...VISTO PO A.BARRETO

'Sócrates, o ditador'

por António Barreto

Único senhor a bordo tem um mestre e uma inspiração.
Com Guterres, o primeiro-ministro aprendeu a ambição pessoal, mas,
contra ele, percebeu que a indecisão pode ser fatal, ao ponto de, com
zelo, se exceder.
Prefere decidir mal, mas rapidamente, do que adiar para estudar.
Em Cavaco, colheu o desdém pelo seu partido.
Com os dois e com a sua própria intuição autoritária, compreendeu que
se pode governar sem políticos.

Onde estão os políticos socialistas ?

Aqueles que conhecemos, cujas ideias pesaram alguma coisa e que são
responsáveis pelo seu passado?
Uns saneados, outros afastados.
Uns reformaram-se da política, outros foram encostados.
Uns foram promovidos ao céu, outros mudaram de profissão.
Uns foram viajar, outros ganhar dinheiro.
Uns desapareceram sem deixar vestígios, outros estão empregados nas
empresas que dependem do Governo.
Manuel Alegre resiste, mas já não conta.
Medeiros Ferreira ensina e escreve.
Jaime Gama preside sem poderes.
João Cravinho emigrou.
Jorge Coelho está a milhas de distância e vai dizendo, sem convicção,
que o socialismo ainda existe.
António Vitorino, eterno desejado, exerce a sua profissão.
Almeida Santos justifica tudo.
Freitas do Amaral, "ofereceu-se, vendeu-se" e reformou-se !
Alberto Martins apagou-se.
Mário Soares ocupa-se da globalização.
Carlos César limitou-se definitivamente aos Açores.
João Soares espera.
Helena Roseta foi à sua vida independente.
Os grandes autarcas do partido estão reduzidos à insignificância.
O Grupo Parlamentar parece um jardim-escola sedado.
Os sindicalistas quase não existem.
O actual pensamento dos socialistas resume-se a uma lengalenga
pragmática, justificativa e repetitiva sobre a inevitabilidade do
governo e da luta contra o défice.
O ideário contemporâneo dos socialistas portugueses é mais silencioso
do que a meditação budista.

Ainda por cima, Sócrates percebeu depressa que nunca o sentimento
público esteve, como hoje, tão adverso e tão farto da política e dos
políticos. Sem hesitar, apanhou a onda.

Desengane-se quem pensa que as gafes dos ministros incomodam Sócrates.
Não mais do que picadas de mosquito. As gafes entretêm a opinião,
mobilizam a imprensa, distraem a oposição e ocupam o Parlamento.
Mas nada de essencial está em causa.

Os disparates de Manuel Pinho fazem rir toda a gente.
As tontarias e a prestidigitação estatística de Mário Lino são pura diversão.
Não se pense que a irrelevância da maior parte dos ministros, que nada
têm a dizer para além dos seus assuntos técnicos, perturba o
primeiro-ministro.
É assim que ele os quer, como se fossem directores-gerais.

Só o problema da Universidade Independente e dos seus diplomas o
incomodou realmente.
Mas tratava-se, politicamente, de uma questão menor.
Percebeu que as suas fragilidades podiam ser expostas e que nem tudo
estava sob controlo. Mas nada de semelhante se repetirá.

O estilo de Sócrates consolida-se. Autoritário, Crispado, Despótico,
Irritado, Enervado, Detestando ser contrariado.
Não admite perguntas que não estavam previstas ou antes combinadas.
Pretende saber, sobre as pessoas, o que há para saber.
Tem os seus sermões preparados todos os dias.
Só ele faz política, ajudado por uma máquina poderosa de recolha de
informações, de manipulação da imprensa, de propaganda e de encenação.
O verdadeiro Sócrates está presente nos novos bilhetes de identidade,
nas tentativas de Augusto Santos Silva de tutelar a imprensa livre, na
teimosia descabelada de Mário Lino, na concentração das polícias sob
seu mando e no processo que o Ministério da Educação abriu contra um
funcionário que se exprimiu em privado.
O estilo de Sócrates está vivo, por inteiro, no ambiente que se vive,
feito já de medo e apreensão.
A austeridade administrativa e orçamental ameaça a tranquilidade de
cidadãos que sentem que a sua liberdade de expressão pode ser onerosa.
A imprensa sabe o que tem de pagar para aceder à informação.
As empresas conhecem as iras do Governo e fazem as contas ao que têm
de fazer para ter acesso aos fundos e às autorizações.
Sem partido que o incomode, sem ministros politicamente competentes e
sem oposição à altura, Sócrates trata de si.
Rodeado de adjuntos dispostos a tudo e com a benevolência de alguns
interesses económicos, Sócrates governa.
Com uma maioria dócil, uma oposição desorientada e um rol de
secretários de Estado zelosos, ocupa eficientemente, como nunca nas
últimas décadas, a Administração Pública e os cargos dirigentes do
Estado.
Nomeia e saneia a bel-prazer.

Há quem diga que o vamos ter durante mais uns anos.
É possível.
Mas não é boa notícia. É sinal da impotência da oposição. De
incompetência da sociedade. De fraqueza das organizações. E da falta
de carinho dos portugueses pela liberdade.

P.S e P.S.

O P.S. ( Lisboa) pela voz de António Costa quer uma aliança à esquerda.
O P.S. nacional...( Sócrates) recusa alianças à esquerda..e ..presume-se que as aceitará à direita..

P.S--- de "Post-scriptum)... AO QUE CHEGÁMOS

segunda-feira, 13 de julho de 2009

T.S.F. Para quem duvida

Teresa Dias Mendes, que deixará de fazer política na TSF, foi protagonista de um episódio durante a última campanha para as eleições europeias, em que o conteúdo de uma peça assinada pela jornalista não agradou ao primeiro-ministro. A peça aludia a referências, embora indirectas, de José Sócrates ao sindicalista Mário Nogueira, com o primeiro-ministro a sugerir que o dirigente da Fenprof estaria a ser manipulado politicamente.

O episódio levou a uma intervenção do gabinete de José Sócrates junto da direcção da TSF e a uma troca de palavras entre a jornalista e o próprio Sócrates num jantar de campanha em Viseu, uma semana antes das eleições. Segundo Paulo Baldaia, que frisa que as alterações partiram todas de “decisões da direcção”, nenhuma das mudanças terá efeito imediato: “Serão alterações para a nova grelha, só para Outubro.”

ELE TEM RAZÃO



Em entrevista ao "Expresso"...Manuel Alegre salientou que há o risco de nas próximas eleições haver uma maioria de votação nos chamados partidos da esquerda e afinal ser a direita a governar.
PORQUê?
Muito simples... porque a experiência desde 0 25 de Abril prova que o P.S. quando nõ tem maioria absoluta se alia sempre ...mas SEMPRE à direita...
Foi o caso do "bloco central"..das alianças PS/CDS e até do chamado "queijo limiano".
Sendo assim..quem diz que o P.S. é de esquerda?...

mais uma

O Ministério Público vai investigar o negócio que envolveu o governo e a Liscount - firma do grupo Mota-Engil - e que estabelece a extensão do contrato de exploração do Terminal de Contentores de Alcântara até 2042. Há suspeitas de que o interesse do Estado tenha sido prejudicado, dado que não houve concurso público e as condições do contrato são escandalosamente favoráveis ao Grupo liderado por Jorge Coelho.
Ler mais e comentar...

sexta-feira, 10 de julho de 2009

PANDEMIA

PANDEMIA DE LUCRO – Para ler até ao fim.

Que interesses económicos se movem por detrás da gripe porcina???

No mundo, a cada ano morrem milhões de pessoas vítimas da Malária que se
podia prevenir com um simples mosquiteiro.

Os noticiários, disto nada falam!

No mundo, por ano morrem 2 milhões de crianças com diarreia que se poderia
evitar com um simples soro que custa 25 centimos.

Os noticiários disto nada falam!

Sarampo, pneumonia e enfermidades curáveis com vacinas baratas, provocam a
morte de 10 milhões de pessoas a cada ano.

Os noticiários disto nada falam!

Mas há cerca de 10 anos, quando apareceu a famosa gripe das aves...

...os noticiários mundiais inundaram-se de noticias...

Uma epidemia, a mais perigosa de todas...Uma Pandemia!

Só se falava da terrífica enfermidade das aves.

Não obstante, a gripe das aves apenas causou a morte de 250 pessoas, em 10
anos...25 mortos por ano.

A gripe comum, mata por ano meio milhão de pessoas no mundo. Meio milhão
contra 25.

Um momento, um momento. Então, porque se armou tanto escândalo com a gripe
das aves?

Porque atrás desses frangos havia um "galo", um galo de crista grande.

A farmacêutica transnacional Roche com o seu famoso Tamiflú vendeu milhões
de doses aos países asiáticos.

Ainda que o Tamiflú seja de duvidosa eficácia, o governo britânico comprou
14 milhões de doses para prevenir a sua população.

Com a gripe das aves, a Roche e a Relenza, as duas maiores empresas
farmacêuticas que vendem os antivirais, obtiveram milhões de dólares de
lucro.

-Antes com os frangos e agora com os porcos.

-Sim, agora começou a psicose da gripe porcina. E todos os noticiários do
mundo só falam disso...

-Já não se fala da crise económica nem dos torturados em Guantánamo...

-Só a gripe porcina, a gripe dos porcos...

-E eu pergunto-me: se atrás dos frangos havia um "galo"... ¿ atrás dos
porcos... não haverá um "grande porco"?

A empresa norte-americana Gilead Sciences tem a patente do Tamiflú. O
principal accionista desta empresa é nada menos que um personagem sinistro,
Donald Rumsfeld, secretario da defesa de George Bush, artífice da guerra
contra Iraque...

Os accionistas das farmacêuticas Roche e Relenza estão esfregando as mãos,
estão felizes pelas suas vendas novamente milionárias com o duvidoso
Tamiflú.

A verdadeira pandemia é de lucro, os enormes lucros destes mercenários da
saúde.

Não nego as necessárias medidas de precaução que estão a ser tomadas pelos
países.

Mas se a gripe porcina é uma pandemia tão terrível como anunciam os meios
de comunicação.

Se a Organização Mundial de Saúde se preocupa tanto com esta enfermidade,
porque não a declara como um problema de saúde pública mundial e autoriza o
fabrico de medicamentos genéricos para combatê-la?

Prescindir das patentes da Roche e Relenza e distribuir medicamentos
genéricos gratuitos a todos os países, especialmente os pobres. Essa seria
a melhor solução.

PASSEM ESTA MENSAGEM POR TODOS LADOS, COMO SE TRATASSE DE UMA VACINA, PARA
QUE TODOS CONHEÇAM A REALIDADE DESTA "PANDEMIA".

quinta-feira, 9 de julho de 2009

E O REGABOFE CONTINUA

última novidade do Governo socialista do senhor presidente do Conselho é uma coisa chamada Fundação para as Comunicações Móveis. Esta entidade, cozinhada no gabinete do ministro Lino ex-TGV e ex-aeroportos da Ota e Alcochete, foi a contrapartida exigida pelo Governo a três operadores para obterem as licenças dos telemóveis de terceira geração. É privada, tem um conselho geral com três membros nomeados pelo Executivo e um conselho de administração com três elementos, presidido por um ex-membro do gabinete do impagável Lino, devidamente remunerado, e dois assessores do senhor que está cansado de aturar o senhor presidente do Conselho e já não tem idade para ser ministro.
Chegados aqui vamos à massa. Os três operadores meteram até agora na querida fundação 400 milhões de euros, uma parte do preço a pagar pelas tais licenças. O Estado, por sua vez, desviou para esta verdadeira offshore socialista 61 milhões de euros. E pronto. De uma penada temos uma entidade privada, que até agora sacou 461 milhões de euros, gerida por três fiéis do ministro Lino, isto é, três fiéis do senhor presidente do Conselho. É evidente que esta querida fundação não é controlada por nenhuma autoridade e movimenta a massa como quer e lhe apetece, isto é, como apetece ao senhor presidente do Conselho.
Chegados aqui tudo é possível. Chegados aqui é legítimo considerar que as Fátimas, Isaltinos, Valentins, Avelinos e comandita deste sítio manhoso, pobre, deprimido, cheio de larápios e obviamente cada vez mais mal frequentado não passam de uns meros aprendizes de feiticeiro ao pé da equipa dirigida com mão de ferro e rédea curta pelo senhor presidente do Conselho.
Chegados aqui é legítimo dar largas à imaginação e pensar que a querida fundação, para além de ter comprado a uma empresa uma batelada de computadores Magalhães sem qualquer concurso, pode pagar o que bem lhe apetecer, como campanhas eleitorais do PS e dos seus candidatos a autarquias, e fazer muita gente feliz com os milhões que o Estado generosamente lhe colocou nos cofres.
Chegados aqui é natural que se abra a boca de espanto com o silêncio das autoridades, particularmente do senhor procurador-geral da República, justiceiro que tem toda a gente sob suspeita. Chegados aqui é legítimo pensar que a fundação privada criada pelo senhor presidente do Conselho é um enorme paraíso fiscal, uma enorme lavandaria democrática.
António Ribeiro Ferreira, Jornalista








Responder EncaminharAntonieta não está disponível para bate-papo

ARTIGO DO D.N.

Escutas a um dos arguidos levaram a uma rede de contactos entre um ex-publicitário com procuradores e inspectores da Judiciária

Escutas telefónicas realizadas no processo dos CTT - que investiga suspeitas de gestão danosa e tráfico de influências, entre outros crimes - revelaram aos investigadores contactos entre elementos da Maçonaria, procuradores do Ministério Público e inspectores da Polícia Judiciária. O pivô destas ligações é José Manuel Grácio, um antigo publicitário, que o DN procurou insistentemente localizar e contactar, mas não foi possível.

Os primeiros elementos das ligações foram obtidos através de escutas telefónicas a Júlio Macedo, antigo administrador da TCN Portugal, a empresa que comprou aos CTT um prédio em Coimbra. Segundo fonte ligada ao processo, foram interceptadas conversas entre aquele e José Manuel Grácio. Este terá feito referências expressas à sua condição de maçon e terá prometido recolher informações sobre a investigação em curso, na qual Júlio Macedo acabou por ser constituído arguido.

Certo é que, perante estas suspeitas, um juiz do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa autorizou escutas telefónicas a Manuel Grácio. Durante 15 dias, o antigo dono da empresa Jotacê (que chegou a fazer uma campanha para a Prevenção Rodoviária) foi colocado sob escuta. Nesta operação foram interceptadas dezenas de conversas com inspectores da PJ e procuradores do Ministério Público.

As escutas, segundo o DN apurou, não foram transcritas. No processo, como o actual Código do Processo Penal obriga, constam apenas resumos das conversações. Só se o Ministério Público acusar e o processo seguir para a fase de instrução é que os arguidos, a acusação ou o juiz podem transcrever as conversas, se estas forem consideradas importantes para a descoberta da verdade.

O caso tem sido comentado em surdina no interior da Judiciária e no Ministério Público, estando a causar polémica no interior de ambas as estruturas. "Quando tomámos conhecimento do que estava em causa, ficámos sem saber em quem confiar", adiantou ao DN fonte ligada à investigação.

Esta investigação, concluída pela Unidade Nacional Contra a Corrupção da PJ, tem como focos principais a venda, em 2003, de dois prédios dos CTT, um em Coimbra e outro em Lisboa. O edifício de Coimbra foi vendido pelos CTT, por 15 milhões de euros, à empresa Demagre, que o revendeu, no mesmo dia, à Espírito Santo Activos Financeiros (ESAF), por 20 milhões. No negócio, a Demagre acabou como inquilina da ESAF e tratou de subarrendar o edifício.

Ao que o DN apurou, a investigação conseguiu apanhar o rasto de 600 mil euros que foram levantados em numerário e que terão servido para o pagamento de comissões no negócio de Coimbra. Aliás, nas dezenas de buscas que fez, a Judiciária apreendeu notas pessoais a alguns dos intervenientes, que fazem referência a essas comissões, usando expressões como "Amigos dos CTT" e "mamões dos CTT".

Tal como o DN online avançou, há várias pessoas suspeitas de terem recebido comissões à volta dos 50 mil euros e, por isso, são suspeitas dos crimes de fraude fiscal e branqueamento de capitais.

O processo está agora nas mãos da 9.ª secção do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa.

Tags: Bolsa, CTT

COMENTÁRIO...
TODOS DIFERENTES...TODOS IGUAIS...
PERGUNTA. ADIVINHE DE QUE PARTIDO(S) SÃO OS DFIGURÕES...

ACERTOU...

quarta-feira, 8 de julho de 2009

NEM OS C.T.T. ESCAPAM...



HOJE SOUBE-SE ATRAVÉS DOS JORNAIS E RESTANTE COMUNICAÇÃO SOCIAL QUE HÁ 52 ARGUIDOS NUM PROCESSO QUE ENVOLVE ENTRE OUTROS HORTA E COSTA ( EX-ADMINISTRADOR DOS CTT)..CARLOS ENCARNAÇÃO (PRESIDENTE DA CAMARA MUNICIPAL DE COIMBRA)..ETC..etc

ENTRE MUITAS OUTRAS HISTÓRIAS MIRABOLANTES...ESSES SENHORES CONSEGUIRAM A PROEZA DE VENDER UM PRÉDIO PERTENCENTE AOS DITOS C.T.T. POR DETERMINADA IMPORTANCIA A UMA FIRMA QUE NO MESMO DIA O VENDEU COM UM LUCRO DE


CINCO MIHÕES DE EUROS

SEGUNDO O JORNAL DONDE EXTRAÍ A NOTICIA UM MILHÃO DE EUROS TERÁ IDO CAIR NO BOLSO DE ALGUNS ARGUIDOS E NOS COFRES DO P.S,D.

É O B.P.N.

..É O FRREEPORT...

É... É... É TUDO A COMER E O ZÉ A PAGAR...

DIR-ME-ÃO...SIM HÁ ARGUIDOS.
POIS HÁ.. E JÁ SE VIU ALGUM CONDENADO?

Não se riam...é verdade

Hoje quando fui levar ao Intercidades para a Guarda, a minha Mãe (82 anos), que só viaja em 1ª. classe porque paga 50% do bilhete, fiquei altamente escandalizada e cada vez com mais nojo deste governo de bostas.
Até há bem pouco tempo havia uma sala de espera para todos os utentes, fossem eles do governo ou do povo, juízes ou taxistas, lésbicas ou gays, mulheres ou homens, prostitutas ou tias, crianças ou jovens, tatuados ou mesma pedrados, enfim todo o ser humana lá poderia esperar pela hora do comboio, e, se toda a gente for como a minha mãe que gosta de lá estar á espera quase uma hora...
Qual não foi o meu espanto quando me dirijo para dita cuja sala para mais 19 minutos de espera, dou de caras com uma sala onde se lia numa placa do lado direito o seguinte;

SALA DE ESPERA SÒMENTE PARA PASSAGEIROS DA CLASSE CONFORTO DO ALFA PENDULAR, acho +/- que é isto...


Como podem imaginar há um funcionário/a que se encontra lá dentro sem nada para fazer (e pago pelos nossos impostos) a não ser correr com os utentes k não reparam na dita cuja placa.

Claro que aquela sala está sempre vazia porque quem a pode ocupar são os nossos governantes, os nossos juízes, sómente grandes bostas deste país de bostas, k não pagam bilhete e que normalmente se deslocam nos nossos brutos carroa ou nos nossos aviões (digo nossos porque tb pago impostos).
Um individuo da CP k estava sentado ao meu lado contou-me k noutro dis chegou um juíz, mas k não teve lugar no alfa, e teimou em ir para essa sala e que não pôde apesar de ser daqueles cujos bilhetes somos nós a pagar, mas k teve o azar de ir no Intercidades.

Dou-vos a minha palavra k vou um destes dias perder o amor a uns tantos Euros e vou na classe Conforto só para ir a essa sala fazer um ruído fétido ou intestinal, e, sair em seguida.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

O PARAÍSO VEM AÍ

´CAVACO..SÓCRATES..E NÃO SÓ

E NÓS PAGAMOS...

Pronto! Finalmente descobrimos aquilo de que Portugal realmente precisa: uma nova frota de jactos executivos para transporte de governantes. Afinal, o que é preciso não são os 150 mil empregos que José Sócrates anda a tentar esgravatar nos desertos em que Portugal se vai transformando. Tão-pouco precisamos de leis claras que impeçam que propriedade pública transite directamente para o sector privado sem passar pela Partida no soturno jogo do Monopólio de pedintes e espoliadores em que Portugal se tornou. Não precisamos de nada disso.

Precisamos, diz-nos o Presidente da República, de trocar de jactos porque aviões executivos "assim" como aqueles que temos já não há "nem na Europa nem em África". Cavaco Silva percebe, e obviamente gosta, de aviões executivos. Foi ele, quando chefiava o seu segundo governo, quem comprou com fundos comunitários a actual frota de Falcon em que os nossos governantes se deslocam.

Voei uma vez num jacto executivo. Em 1984 andei num avião presidencial em Moçambique. Samora Machel , em cuja capital se morria à fome, tinha, também, uma paixão por jactos privados que acabaria por lhe ser fatal.

Quando morreu a bordo de um deles tinha três na sua frota. Um quadrimotor Ilyushin 62 de longo curso, versão presidencial, o malogrado Antonov-6, e um lindíssimo bimotor a jacto British Aerospace 800B, novinho em folha. Tive a sorte de ter sido nesse que voei com o então Ministro dos Estrangeiros Jaime Gama numa viagem entre Maputo e Cabora Bassa. Era uma aeronave fantástica. Um terço da cabina era uma magnífica casa de banho. O resto era de um requinte de decoração notável. Por exemplo, havia um pequeno armário onde se metia um assistente de bordo magro, muito esguio que, num prodígio de contorcionismo, fez surgir durante o voo minúsculos banquetes de tapas variadíssimas, com sandes de beluga e rolinhos de salmão fumado que deglutimos entre golinhos de Clicquot Ponsardin. Depois de nos mimar, como por magia, desaparecia no seu armário. Na altura fiz uma reportagem em que descrevi aquele luxo como "obsceno". Fiz nesse trabalho a comparação com Portugal, que estava numa craveira de desenvolvimento totalmente diferente da de Moçambique, e não tinha jactos executivos do Estado para servir governantes.

domingo, 5 de julho de 2009

NÃO RESISTO....

É fartar..vilanagem

Copiado do "Jornal de Notícias"

Ontem
ALEXANDRA MARQUES E NUNO MIGUEL MAIA
Ascende a mais de 24 milhões de euros (24.301.669 euros) o montante total que os cinco arguidos do caso BCP (Banco Comercial Português) - os ex-membros do Conselho de Administração (CA) Jardim Gonçalves, Filipe Pinhal, Christopher de Beck, António Rodrigues e António Castro Henriques - receberam "indevidamente", entre 2001 e 2004.
A remuneração variável que cabia a cada administrador, relativa a cada exercício das contas, poderia atingir os 10% dos resultados líquidos consolidados pelo Grupo BCP, que são agora de 2%, desde que fossem aprovados em Assembleia Geral.
Para receberem mais do que lhes era devido - refere-se uma página final das quase 300 que compõem a acusação do Ministério Público - os arguidos apresentaram "resultados consolidados empolados", já que não incluíam as perdas sofridas pelas 17 "off-shore" das Ilhas Cayman e "off-shore Goes Ferreira", e contabilizavam indevidamente juros e comissões.
Desta forma, os membros da Comissão de Remunerações foram induzidos em erro e atribuíram aos administradores, "a título de 'participação nos resultados', valores superiores aos estatutariamente permitidos".
Jardim Gonçalves surge à cabeça da lista dos prémios com 9693 milhões de euros, seguido de Filipe Pinhal (2913), Christopher Beck (2684 ), António Rodrigues (2661) e António Castro Henriques (1505). "Montantes que os arguidos, apesar de bem saberem não lhes serem devidos, fizeram seus e permitiram que os restantes membros do CA igualmente o fizessem", sendo recebidos nos anos seguintes, tendo a última vez sido em Junho de 2007, sendo pagamento feito por cheques sacados à conta do BCP no Banco Bilbao, Vizcaya e Argentaria.

PENSAMENTO DO DIA

Portugal é hoje um paraíso criminal onde alguns inocentes imbecis se levantam para ir trabalhar, recebendo por isso dinheiro que depois lhes é roubado pelos criminosos e ajuda a pagar ordenados aos iluminados que bolsam certas leis".

P.S e P.C.P.

Copiado com a devida vénia do blogue "Fliscorno"

.......

Houve dois incidentes recentes que condeno por igual: as borrifadelas e encontrões que Vital Moreira levou no 1º de Maio e os cornos que Manuel Pino mostrou a Bernardino Soares no Parlamento. Curiosamente, dois casos que envolveram figuras do PS e do PCP mas em papeis opostos.

A situação do 1º de Maio foi usada pelo PS até não render mais, com exigência de pedidos de desculpas e afirmações de que a democracia tinha sido posta em causa. Já no caso dos cornos no parlamento, o PS e as pessoas a ele ligado têm ensaiado uma perspectiva diferente: o pobre coitado do ministro foi vítima de uma provocação do PCP. Parece, no entanto, que foi por ter sido confrontado com a história de um cheque usado para propaganda do partido que o fez perder as estribeiras. Mas isso é uma outra história. De registar neste segundo caso é a indignação do PS por a oposição o usar exactamente da mesma forma que o PS havia feito quando do 1º de Maio.

Finalmente, a parte mais interessante nestes dois casos é o PS agora acusar o PCP de provocação quando a deslocação de Vital Moreira ao 1º de Maio foi um momento de calculismo político para obter o mesmo efeito que esta alegada provocação causou. Enfim, cada qual faz o seu papel mas estamos cá nós para registar estas dualidades.

sábado, 4 de julho de 2009

OS FAVORES PAGAM-SE



NÃO..NÃO VAMOS PUBLICAR A IMAGEM QUE TODA A GENTE VIU.
IMPORTANTE..IMPORTANTE..É QUE OS FAVORES SE PAGAM


O GOVERNO ATRAVÉS DA PERMISSÃO PARA QUE A CHAMADA COLECÇÃO DE ARTE JOE BERARDO FOSSE EXIBIDA NO CENTRO CULTURAL DE BELÉM FACILITOU AO DITO SENHOR JOE BERARDO UM NEGÓCIO MULTIMILIONÁRIO...
~MANUEL PINHO FOI UM DOS ARTIFICES DO NEGÓCIO..
AGORA ..JOE BERARDO OFERECE A MANUEL PINHO UM LUGAR DE ADMINISTRADOR NA SUA FUNDAÇÃO...
LÓGICO..NÃO É?
SAI-SE DO GOVERNO VAI-SE ADMINISTRAR UMA EMPRESA.

JORGE COELHO...PINA MOURA... TANTOS OUTROS..
UMA PERGUNTA ..NÃO HÁ OUTRAS ESCOLHAS ALÉM DO FAMIGERADO BLOCO CENTRAL DE INTERESSES.
VAMOS CONTINUAR A VOTAR NELES?
5.06
O PAÍS E A TV

• Sinceramente preferíamos abordar aqui e agora as qualidades ou defeitos dum qualquer programa televisivo. Infelizmente mais do que qualquer aspecto técnico ou estético, preocupa-nos as noticias que os diversos canais e outros meios da comunicação social nos transmitem sobre a situação do país .
E essas não são de modo alguns animadoras ,em particular sobre as personalidades e entidades envolvidas.
• A inqualificável atitude do ex-ministro Manuel Pinho poderia ser apenas um “fait-divers” que as Tvs amplamente nos mostraram. Infelizmente há outros casos que são afinal muito mais graves pelo reflexo que podem ter nas nossas vidas.
Vejamos alguns exemplos:
1. O ex-conselheiro de Estado Dias Loureiro e que oportunamente foi classificado pelo Presidente da República, como “ acima de qualquer suspeita”, foi constituído arguido num processo relacionado com o BPN( o tal que implica muitos milhões de euros do dinheiro dos contribuintes)
2. O P.S. foi acusado pelo P.S.D. de ter tentado a compra de parte da TVI através da P.T. com o objectivo de mudar os critérios editoriais daquela estação, actualmente desfavoráveis ao partido do governo;
3. Por seu lado a líder do P.S.D. foi agora acusada de ter vendido, quando Ministra das Finanças, a então rede fixa pertencente ao Estado, à P.T. pela quantia de 365 milhões, quando a mesma valia dois mil milhões( é obra)
Quando se aproximam eleições legislativas, estas são noticias que certamente nos fazem reflectir, em particular por terem a ver com figuras destacadas da vida pública portuguesa, em particular ligadas aos chamados principais partidos.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

MI MANCHERAI- VÍDEO

LOPES DA MOTA

Lopes da Mota, o impoluto filho de uma impoluta justiça

Há coincidências tramadas. Então não é que o procurador Lopes da Mota, o tal a quem os procuradores titulares pelo processo Freeport acusam de pressões, para além de ex-colega de Governo de Sócrates, ter sido igualmente suspeito de ter fornecido informações a Fátima Felgueiras sobre a investigação que corria contra si!?
Antes de rumar a Bruxelas, onde é agora presidente (meu Deus) do Eurojust (organismo europeu encarregado de zelar pela colaboração judiciária entre as autoridades dos diversos países), o digno procurador esteve colocado no Tribunal de Felgueiras.
Na altura, o dito cujo era secretário-geral da PGR e apontado como o possível sucessor de Cunha Rodrigues. O seu suposto envolvimento no processo de Fátima Felgueiras acabou por o fragilizar, ao ponto de ter perdido a vantagem para Souto Moura na nomeação para Procurador-Geral da República. Olhem do que escapámos, então é que era líquido que se arquivariam todos os processos que envolvessem a camarilha e ainda lá estaria.
É claro que não perderam tempo, havia que colocar o homem certo no lugar certo, é que, do mal o menos, assim sempre se salvaguardava a corrupção à portuguesa, em particular os da sua família política.
O mais curioso, é que o inquérito, aberto pelo procurador-geral Souto de Moura (o tal que fingia ser um totó, para levar o barco a bom porto), foi arquivado por falta de qualquer tipo de provas nesse sentido. É que para determinados indivíduos, ou personalidades, as escutas telefónicas nunca provam nada, conforme podem atestar no Anexo.
Passo a transcrever o artigo em que Joaquim Vieira (que será feito dele?) denuncia, sem referir quem, no encerrado (pois claro, porque era incómodo) suplemento "Grande Reportagem", o comportamento de um ilustre da nossa "justiça", que eu, com o meu reconhecido mau feitio, jurei não esquecer e digitalizei, esperando ainda um dia vir a pedir contas. Mas aqui vai:
''Mãos sujas na justiça
Aos olhos dos cidadãos, há dois pesos e duas medidas na prática judicial
O país nem reagiu à notícia de uma semana, anestesiado pelos sucessivos casos que têm abalado a confiança dos portugueses na Justiça. Concluído o inquérito ao suposto favorecimento de Fátima Felgueiras por um juiz do Supremo Tribunal Administrativo, chegou-se a um relatório com quase uma centena de páginas de transcrições de escutas telefónicas entre a foragida presidente da Câmara Municipal de Felgueiras e o magistrado, onde este transmite instruções à autarca para fugir à acção judicial que sobre ela impede por suspeitas de corrupção enquanto responsável máxima do executivo concelhio. Mais: o insigne jurista promete-lhe interceder junto de outros magistrados para os pressionar a abafar o processo. Quanto à acção movida a Felgueiras com vista à perda do mandato em consequência do processo de corrupção, o mesmo juiz pede-lhe que ela o avise do envio dos autos para o Tribunal Administrativo do Porto, para que ele accione logo influências junto do Ministério Público (e a verdade é que a autarca foi aí absolvida, com base no decisivo depoimento do magistrado em audiência, como sua testemunha de defesa). Vem a saber-se ainda que, já como vereadora em Felgueiras, 10 anos antes, a autarca vira ser arquivado semelhante processo contra si, também no mesmo tribunal portuense e aparentemente após diligências do mesmo magistrado. Como se tudo isto não bastasse, apurou-se agora que, no espaço de uma hora antes de a autarca fugir para o Brasil, há ano e meio, aparentando saber por antecipação que ia ser detida nesse dia, houve dez chamadas telefónicas do Tribunal Tributário do Porto, onde o magistrado disporia de gabinete, supostamente para Felgueiras (e mais uma para o seu ex-marido). Note-se que não estamos a falar de um magistrado qualquer, mas de um juiz-conselheiro. Em que outros processos terá sujado as mãos, ao longo de uma carreira que o levou ao topo? São situações como esta que levam a concluir que algo está podre no reino da Justiça e que, aos olhos dos portugueses, existe definitivamente uma prática judicial (implacável) para os cidadãos anónimos e outra (com inúmeras escapatórias) para quem pode dispor de influência social.
In Grande Reportagem de 9 de Outubro de2004 - OS PASSOS EM VOLTA de Joaquim Vieira''

Não fosse o facto de ele ter sido ilibado eu julgava que o indivíduo não passava de um canalha, sem escrúpulos de espécie alguma, mas como o foi, tenho que reconhecer estar enganado, e que o "traste" é honestíssimo, incapaz, ou de tomar qualquer atitude menos honesta, de pressionar seja quem for.
A medo vão saindo a público, vamos assistir a campanhas eleitorais que serão verdadeiros momentos festivos, espectáculos de som luz e cor. Tudo menos o que interessa: compromissos políticos. Para isso, já aprovaram leis para aumentar os donativos em dinheiro vivo, ou seja, sem se saber a origem, pois claro.
Votar em quem? Votar para quê? Se são sempre os mesmos!!
Votar para legitimar um governo, uma AR, uma classe de governantes, de deputados, sem classe, salvo as raras excepções, como se verificou na aprovação da lei do financiamento dos partidos?
Para legitimar suspeitos de corrupção?
Para legitimar os "jobs for the boys"?



De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver crescer as injustiças, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.
(Ruy Barbosa)

"SALVEM OS RICOS" vídeo a ver e rever

quarta-feira, 1 de julho de 2009

PRÓS E CONTRAS

O ultimo programa da RTP , " Prós e contras" foi mais uma demonstração do facciosismo da sua coordenadora.
Supostamente seria um programa para analisar causas do desemprego.
Lógico que representantes do patronato e dos trabalhadores tivessem posições diferentes.
Mas ...a coordenadora do programa tentou sobretudo explorar as divergências sobre as maneiras de pensar de Carvalho da Silva ( coordenador da CGTP e membro do PCP) e António Chora( da Comissão de Trabalhadores da Auto Europa e membro do Bloco de Esquerda) sobre os problemas da Auto Europa.
Felizmente nenhum deles caiu na esparrela que lhe queriam montar...assumiram modos diferentes de encarar o problema..mas ambos mostraram que o seu interesse era o da defesa dos trabalhadores.
Infelizmente o mesmo não se pode dizer do senhor João Proença, da UGT, que fez um descabelado ataque à ex Comissão de Trabalhadores da Opel, como se tivesse sido esta a responsável pela deslocalização que aquela empresa fez da unidade que teve em Portugal.
Com atitudes destas, os trabalhadores..+podem dizer " Com amigos destes para que são precisos os inimigos?"

NOVAS REVELAÇÕES

é HOJE REVELADO PELO JORNAL "i" QUE AFINAL FERREIRA LEITE, QUANDO MINISTRA DAS FINANÇAS VENDEU Á PT POR 365 MILHÕES DE EUROS A REDE FIXA QUE ENTÃO PERTENCIA AO ESTADO.
o VALOR DESSA REDE ERA..SEGUNDO RELATÓRIO DA PRÓPRIA P T DE DOIS MIL MILHÕES DE EUROS.
E É GENTE DESTA QUE QUER GOVERNAR DE NOVO O PAÍS.
MAS NÃO TEREMOS ALTERNATIVA A ESTES PARTIDOS DO CHAMADO BLOCO CENTRAL QUE NOS CONDUZIRAM AO ESTADO EM QUE ESTAMOS?