Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

ATÉ ELA CRITICA

Manuela Ferreira Leite criticou hoje fortemente a decisão do Governo
em voltar a cortar o valor das pensões dos reformados que ganham mais
de 1.500 euros.

“De todo o conjunto de medidas, a questão da forma como este governo
tem encarado os reformados é para mim a questão mais sensível e a mais
‘tocante’ do ponto de vista social”, pois os pensionistas “é um grupo
indefeso, não tem forma de se defender”

De acordo com as contas da ex-ministra das Finanças, os impostos estão
a retirar mais de 70% dos rendimentos dos reformados. “Isto no final
da vida de alguém (...) é pior do que cair no conto do vigário, é um
logro”.

Acusou o Governo de estar a colocar os reformados “na miséria” e de
destruir “aquilo que tem sido um elo de coesão social”, pois muitas
vezes são os reformados que apoiam os filhos e familiares que ficam no
desemprego.

“É algo de tão grave que tenho dificuldade em assimilar”, confessou,
defendendo que “não pode ser a categoria de reformado que leva o
critério de pagar mais impostos”.

Ferreira Leite acredita mesmo que o nível de tributação que está a ser
aplicado aos reformados “é absolutamente ilegal”.

Este empobrecimento sem visão de futuro é do ponto de vista social
dramático”, acrescentou, lamentando a “total insensibilidade social”.









Sem comentários: