Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

" B P N" e " FACE OCULTA"


BPN E FACE OCULTA: VEJA AS DIFERENÇAS

Publicadopor estrelaserrano@gmail.com

Uma boa questão é tentar perceber porque razão o processo BPN não desperta nos jornalistas e na opinião pública a mesma curiosidade  despertada pelo processo Face Oculta.
Se analisarmos a questão sob o ângulo da visibilidade dos protagonistas de cada um destes processos, o BPN ganha aos pontos, desde logo, pelo número de ex-governantes envolvidos. No Face Oculta há apenas um ex-ministro (aliás, nada mediático, com escrevi aqui) enquanto  no BPN há vários. No que respeita aos “protagonistas secundários”, no BPN parece haver só “vips” e alta sociedade enquanto no Face Oculta é mais povo e classe média.

Se, por outro lado, encararmos a questão sob o prisma dos prejuízos financeiros presumivelmente causados ao Estado por cada um destes casos, também aqui a diferença é abissal. Os milhões do BPN não têm paralelo nas “prendas”, nos robalos e nas alheiras, nem mesmo no Mercedes que o “sucateiro” do Face Oculta terá oferecido a um quadro de uma empresa pública que o terá favorecido.


Atendendo, em terceiro lugar, à dimensão do processo, avaliado pelo número de pessoas envolvidas, não se conhece toda a extensão do caso BPN enquanto no  Face Oculta os protagonistas estão todos os dias na televisão e nos jornais e até se sabe que a sala do tribunal precisou de obras.


A que se deverá então a diferença de tratamento e de interesse jornalístico entre os dois processos?
Quatro respostas possíveis:


1. No caso BPN não há fugas de informação organizadas para os média, ao contrário do que acontece no Face Oculta;


2. No caso BPN  a acusação não se baseia em escutas telefónicas, pelo que os jornalistas têm mais dificuldade em obter informação; no Face Oculta os jornalistas dispõem da “matéria-prima” (as escutas) sem necessidade de investigação própria;


3. No caso BPN, o poder judicial manteve-se “discreto”. Não sabemos os nomes dos polícias nem dos magistrados; no caso Face Oculta polícias e magistrados tornaram-se vedetas. Conhecemos pelos jornais os seus nomes e os seus rostos.
4. O caso BPN não teve um jornal “por conta”; o Face Oculta teve o Correio da Manhã como “jornal oficial”.
Pormenor: as diferenças fizeram sentir-se até no power-point: No BPN o colectivo de juízes não deixou a acusação exibir um power-point; no Face Oculta a acusação teve autorização para exibir o seu power-point.
Não é coisa pouca.

Sem comentários: