Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 18 de outubro de 2011

FILHOS DA... a propósito duma noticia da Rádio Renascença)

udo indica que os antigos titulares de cargos políticos vão escapar ao esforço adicional de austeridade que está a ser exigido aos funcionários públicos e pensionistas que ganhem mais de 485 euros.




Segundo o “Diário de Notícias”, as pensões vitalícias de ex-políticos são poupadas aos cortes, uma vez que o Orçamento do Estado para 2012 prevê que sejam apenas tributadas em sede de IRS.



Uma das explicações poderá estar no facto de as subvenções vitalícias serem pagas em 12 prestações mensais, pelo que não há oportunidade de cortar nos subsídios de férias e de Natal.



O fiscalista Tiago Caiado Guerreiro refere, contudo, que basta vontade política para que os cortes sejam efectuados e que correspondam ao que é retirado aos funcionários públicos.



“O facto de estas terem sido desenhadas para serem pagas em 12 meses não altera a situação. Mais: estão ligados a cargos políticos, aqueles que decidiram a situação do país, por isso, ainda mais responsabilidade têm de dar o exemplo. Devia ter sido criado um mecanismo específico para cortar aquilo que é cortado correspondentemente aos funcionários públicos e até devia rever-se, com toda a atenção, se essas pessoas estão a acumular pensões de vários tipos e a acumulá-las como exercício de funções privadas”, defende, em declarações à Renascença.



Tiago Caiado Guerreiro lamenta ainda que os políticos sejam sistematicamente excluídos do esforço de austeridade e condena o facto de a classe ganhar “pensões ao fim de pouquíssimos anos, enquanto as pessoas normais têm de trabalhar 40 anos”.



Deixa, por isso, um apelo: “Tem que haver uma moralização da classe política, para que as pessoas aceitem a austeridade com legitimidade e essa equidade”.



A Renascença já contactou o Ministério das Finanças e aguarda esclarecimentos sobre a notícia avançada pelo “DN”.



PARTILHAR

Mais notícias de Orçamento de Estado 2012OE 2012CDS quer cortar pensões vitalícias a antigos políticosOrçamento de Estado 2012 Bruxelas duvida que Portugal cumpra meta do défice para este anoOE 2012IVA vai poder ser deduzido no IRSOrçamento de Estado 2012 Silva Lopes e Miguel Beleza analisam prós e contras do OE 2012Orçamento de Estado 2012 Cantigas Esteves espera mais cortes na despesaOrçamento de Estado 2012 Aumento “enorme” de impostos podia ser evitado, diz fiscalistaComentários (328)» Sónia, Pegões, 18-10-2011 14:04^ topo



É isso!!!Vamos continuar a pagar a boa vida dos responsáveis por esta brincadeira e deixar passar fome quem algum dia contribui para o bem do pais... é assim que vamos estar daqui por algum tempo... a passar fome!!! Haja alguém que alinhe numa greve aos impostos e à taxa social única... é o que basta para invertermos as posicões... e eu quero ver se vão existir tribunais para julgar um pais!!! Acredito que desta forma e apenas assim, os politicos sentissem na pele aquilo que nós já vivemos há muito tempo.

» armando, lisboa, 18-10-2011 13:23^ topo



Os politicos estão a jogar com a passividade do povo português. Como o povo não reage, eles vão apertando cada vez mais. Eu estou disposto a ir para a guerra, pergar em armas e caçar os responsáveis, isto é, os politicos, banqueiros e gestores públicos.

» pensador, barcelos, 18-10-2011 13:23^ topo



viva salazar nao em força para angola mas sim em força para a rua

» Manuel Rodrigues, Madeira, 18-10-2011 12:51^ topo



Isto significa dizer uma coisa: os verdadeiros responsáveis acabam por sair impunes de toda a situação que criaram. É Portugal no seu melhor e se assim for, não duvidem que vamos continuar a ter mais do mesmo... emendar um erro com outro ainda maior...

» ribeiro, viseu, 18-10-2011 12:51^ topo



isto de cortar nas reformas dos senhores é demais, só mesmo na nossa corja politica o senhor passos coelho, com querer moralizar a classe politica, corta subsidios em quem vive do trabalho e protege os corruptos e os mentirosos













Sem comentários: