Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 18 de outubro de 2011

PARA ONDE VAI O DINHEIRO DOS SUBSÍDIOS

Paulo Portas negociou em Luanda as condições de venda do Banco Português de Negócios (BPN) aos angolanos do Banco Internacional de Crédito (BIC). O encontro com Fernando Teles, presidente, e Mira Amaral, presidente do BIC Portugal, aconteceu no dia 23 de Julho, sábado, depois do ministro dos Negócios Estrangeiros ter participado na quinta e sexta na reunião da CPLP. Em 2006, o BPN tinha concedido um crédito da ordem dos 1,6 mil milhões de euros à empresa Amorim Energia para a compra de uma participação na Galp. A Amorim Energia é uma holding que tem como accionistas Américo Amorim, a Santoro Holding Financial, de Isabel dos Santos, filha do presidente angolano, José Eduardo dos Santos, e a Sonangol.Com a venda do BPN ao BIC, que tem como accionista principal a Santoro, de Isabel dos Santos, esse crédito da Amorim Energia, fica num banco adquirido por outro que tem como principal accionista a própria devedora. Afinal parece que a história de um concurso para saber quem queria comprar o BPN era uma grande treta e que o comprador há muito que estava decidido.Decidido e com um belo negócio para o BIC e o Mira Amaral e uma vez mais à nossa custa. O poder do dinheiro e as voltas que ele dá para nunca sair do mesmo sitio.BPN que continua a ter como único arguido o Oliveira e Costa. Onde é que estão os outros? (A pergunta é só retórica e não necessita de resposta pois todos sabemos bem os nomes e por onde andam).

Sem comentários: